Página 1 de 1

Motivações que levam as pessoas a fazerem justiça com as próprias mãos.

Enviado: 09 Out 2020 19:28
por Giovanadrzo
O filósofo inglês John Locke, defensor do Contratualismo, alegava que era o dever do Estado garantir os direitos naturais dos indivíduos, sendo o principal deles o direito à vida. No entanto, o que se observa atualmente, é a ineficiência do governo em garantir a segurança para todos, propiciando, assim, a liberdade para que a população faça justiça com as próprias mãos.

Deve-se pontuar, primeiramente, que a improficiência da justiça brasileira, somado a pensamentos populares, tal qual “direitos humanos para humanos direitos”, contribuem diretamente na formação de justiceiros e concepções de que a população deve agir por conta própria dentro da sociedade.

Todavia, como consequência de tais concepções, nota-se que, em meio a casos de “justiças” realizadas pela própria população, há uma grande parcela de injustiças praticadas. Assim, o direito à vida e segurança garantidos a todos os cidadãos de acordo com a Constituição Federal de 1988, são suprimidos para aqueles que não tiveram seu direito de defesa, corroborando com o pensamento do ativista estadunidense Martin Luther King de que “A injustiça em um lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo lugar”.

É evidente, portanto, que é extremamente necessário uma melhoria e reparo no sistema de segurança do Brasil, como também a conscientização da população brasileira para que haja o fim da prática da justiça feita com as próprias mãos e do pensamento de que para combater a violência é necessário, mutuamente, a violência.