Avatar do usuário
Por iagoggg
Quantidade de postagens
#129958
O professor de direito da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Renan Quinalha, fala que "Apenas pelo fato de nós, pessoas LGBTI+, não nos enquadramos no padrão socialmente referenciado na heteronormatividade, na binariedade e na cisnormatividade, temos nossos direitos violados de diversas formas." A fala do docente é comprovada pelo Grupo Gay da Bahia (GG) que divulgou dados de 2023, afirmando que o Brasil é o país que mais matou pessoas LGBT+ no mundo. Para combater a LGBTfobia, precisamos analisar a ineficácia de políticas públicas e o discurso religioso contra essa comunidade.
Em primeiro plano, evidência-se a ineficácia de políticas públicas, por parte do Estado, para combater a LGBTfobia no Brasil. O escritor brasileiro Gilberto Dimenstein, defende que a legislação brasileira funciona somente no papel e na prática, é ineficiente. A tese defendida pelo autor pode ser reformada, pois, desde 2019, a homofobia é criminalizada no país, porém, de 2019 a 2022, o território brasileiro continuou sendo o que mais exterminou esse povo.
Outrossim, é imperativo pontuar o discurso religioso contra essa comunidade. Em 2023, o pastor André Valadão, discursou, dentro de uma igreja, contra o público LGBT+. A atitude do ministro faz com que os presentes pensassem de uma forma LGBTfobica, em sentido oposto para o progresso da causa LGBT+.
Diante dessa realidade, torna-se premente que o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania invista em políticas públicas de acolhimento, social e psicológico, e divulgar de maneira mediática, com o intuito de humanizar a população LGBT+. Ademais, o Ministério da Educação deve estabelecer campanhas educativas, em nível médio, com o propósito de que as próximas gerações tenham empática e respeito com a comunidade LGBT+. Dessa maneira, espera-se reverter esse cenário.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Passe ilimitado
Comentários
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido.
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
2 Respostas 
127 Exibições
por Delbis1502
Soluções para o combate à LGBTfobia
por Thaly    - In: Outros temas
0 Respostas 
76 Exibições
por Thaly
7 Respostas 
366 Exibições
por Alunaaaamed
1 Respostas 
217 Exibições
por RayaneSC
0 Respostas 
160 Exibições
por Babidi
O aumento da evasão escolar no Brasil
por beatriz23    - In: Outros temas
0 Respostas 
92 Exibições
por beatriz23
A Persistência da Homofobia no Brasil
por Yasmim090    - In: Outros temas
1 Respostas 
180 Exibições
por mduartt
1 Respostas 
87 Exibições
por AnaGrasiele
4 Respostas 
238 Exibições
por Mylike
Pobreza no Brasil
por Joyce22    - In: Outros temas
0 Respostas 
37 Exibições
por Joyce22

Segundo o empresário estadunidense Steve Jobs: &qu[…]

O livro "Utopia", do escritor inglês Tho[…]

A lei seca foi implementada com o intuito de evita[…]

EXCLUIR REDAÇÃO!!!

Você poderia excluir a minha primeira redação de &[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!