Por Anne24
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#74906
O Estatuto da Juventude, promulgado em 2013, prevê em seu artigo 4º, o direito à participação política e social, como inerente à todo jovem brasileiro. Conquanto, tal prerrogativa não tem se reverberado, com ênfase, na prática, quando se observa a pouca atuação dos jovens na democracia brasileira, dificultando, deste modo, a universalização desse direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, se por um lado é necessário modificar a estrutura das instituições para que elas se tornem mais abertas para ouvir as demandas dos jovens, por outro é preciso fazer a juventude se interessar por política no país.

Em primeira análise, deve-se ressaltar que é fundamental a reestruturação das instituições para atender as reivindicações dos jovens. Nesse sentido, há a necessidade de reformar locais adequados para que a juventude possa se deslocar e expor suas opiniões, solicitações, exprimir discussões e debates acerca de temas relativos ao governo, para pessoas dispostas a ouvir e atender todas suas petições. Essa conjuntura, relaciona-se com o universo de "Sim, Não, Quem Sabe", das escritoras Becky albertalli e Aisha Saeed, em que, com o apoio político do candidato a deputado e seus secretários, os jovens Jamie e Maya saem às ruas participando e patenteando suas opiniões políticas. Infelizmente, a esfera da obra não é algo presente no Brasil.

Ademais, é fundamental apontar a carência de incentivo por parte das lideranças como impulsionadora da pouca participação da juventude na política do país. Nesse contexto, segundo uma pesquisa feita pelo "O Perfil da Juventude Brasileira", 15% dos jovens entrevistados participam de algum tipo de grupo juvenil, entretanto, a participação em partidos políticos não foi diferenciada de números relativos, e ficou agregada à categoria "outros". Diante desse exposto, não há políticas públicas que venham instigar os jovens a envolver-se ativamente dentro do ciclo político brasileiro, hodiernamente, a juventude é indiferente a projetos e planejamentos denotados pelo governo, por isso é preciso haver um infiltramento da cultura de participação,visto que os jovens são o futuro do país. Logo, é inadmissível que esse cenário continue a perdurar.

Depreende-se, portanto, a necessidade de combater tais obstáculos. Para isso, é imprescindível que o Governo - instância máxima de administração executiva -, estabeleça espaços de engajamento político aos jovens, por meio da estruturação de pelo menos uma sala em cada cidade do país, e da distribuição de cartilhas que apontam a importância da participação política dos jovens, a fim de que a juventude possa ter voz ativa na democracia brasileira. Somente assim, se consolidará uma juventude constituinte e participativa na política do Brasil,como previsto pelo Estatuto da Juventude.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 150

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 150

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão. Embora ainda possa apresentar alguns problemas no desenvolvimento das ideias, o tema, em seu texto, é bem desenvolvido, com indícios de autoria e certa distância do senso comum demonstrando bom domínio do tipo textual exigido.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 130

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 130

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 150

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, articulada e abrangente, ainda que sem suficiente detalhamento.

Avatar do usuário
Por CAMILY
Quantidade de postagens
#74912
Violência doméstica
A lei (11.340/06) conhecida como: Lei Maria Da Penha, condena agressões contra mulheres quando ocorridas no âmbito familiar e doméstico. Cometidas por um homem próximo da vítima, podendo ser o marido da mesma, a violência não é apenas física, mas também psicológica.
Diante desse cenário, no Brasil, a cada 1 minuto 8 mulheres são agredidas em casa, aponta dados da UOL. O agressor violenta sua companheira com palavras e insultos, socos e chutes, por motivos de ciúmes ou insatisfação.
Além disso, a tortura não deixa marca apenas no corpo, mas também na mente, as vítimas desenvolvem problemas psicológicos sendo eles depressão, ansiedade e pânico, ou são mortas.
Portanto, para deferir essa realidade, o governo deveria impor rígidas condenações a esses agressores e fazer com que cumpram a pena necessária, para que os mesmos ou outros não cometam o mesmo erro. Sendo assim, o número de violência doméstica diminuiria absurdamente.
0
Por Anne24
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#74927
CAMILY escreveu:Violência doméstica
A lei (11.340/06) conhecida como: Lei Maria Da Penha, condena agressões contra mulheres quando ocorridas no âmbito familiar e doméstico. Cometidas por um homem próximo da vítima, podendo ser o marido da mesma, a violência não é apenas física, mas também psicológica.
Diante desse cenário, no Brasil, a cada 1 minuto 8 mulheres são agredidas em casa, aponta dados da UOL. O agressor violenta sua companheira com palavras e insultos, socos e chutes, por motivos de ciúmes ou insatisfação.
Além disso, a tortura não deixa marca apenas no corpo, mas também na mente, as vítimas desenvolvem problemas psicológicos sendo eles depressão, ansiedade e pânico, ou são mortas.
Portanto, para deferir essa realidade, o governo deveria impor rígidas condenações a esses agressores e fazer com que cumpram a pena necessária, para que os mesmos ou outros não cometam o mesmo erro. Sendo assim, o número de violência doméstica diminuiria absurdamente.


Oi, não pode mandar suas redações aqui. :)
0
Avatar do usuário
Por GirlNygma
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#75009
Olá! Adorei redação,parabéns :D
Justifico minha correção com alguns pontos expostos nos parágrafos de desenvolvimento:
1. No primeiro parágrafo faltou um maior desenvolvimento. Por exemplo,você falou da necessidade de fazer reforma para que a juventude possa se DESLOCAR. Nesse ponto,acho que a discussão seria outra,os meios de transporte.
2. No segundo,ao meu ver o repertório trazido (a pesquisa) não foi tão produtiva para o argumento. Não ter os dados concretos sobre a participação política deixa o argumento fraco,pois você pode-ou-não estar provando seu ponto.
Enfim,é isso. Não sou corretora oficial,mas deixo aqui a minha contribuição :D Ressaltando,o texto está ótimo em todos os quesitos!
0
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
0 Respostas 
125 Exibições
por ILopes
2 Respostas 
61 Exibições
por Katsmoking
0 Respostas 
131 Exibições
por AninhA21
Juventude e participação da política
por Majuh    - In: Outros temas
0 Respostas 
47 Exibições
por Majuh
0 Respostas 
327 Exibições
por JulianaMg
0 Respostas 
297 Exibições
por Denilsonper
Participação da mulher na política
por marcusx4    - In: Outros temas
3 Respostas 
162 Exibições
por Myllene02
8 Respostas 
217 Exibições
por Wiliam
5 Respostas 
551 Exibições
por Anne24
0 Respostas 
174 Exibições
por gisgomes

Muito bom, da uma olhada nas redaçõe[…]

Ao afirmar em sua célebre canç&atild[…]

O debate

Em 2021, o famoso cantor sertanejo, Zé Neto[…]

Desastres Ambientais

Greta Thunberg é uma jovem ativista que lut[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM