• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#85083
Segundo o renomado escritor, Gilberto Dimenstein em sua obra " Cidadãos de Papel ", defende que todos os sujeitos devem usufruir os seus direitos. No entanto, quando se observa o cenário brasílico, nota- se que existem desafios atrelados para a acessibilidade da cidadania, no qual dificulta a ideia de Dimenstein. Logo, urge analisar a desigualdade social e a exclusão da coletividade como propulsores pela permanência do impasse.

Diante desse cenário, insta salienar que a  disparidade social potencializa o revés. Acerca disso, é oportuno rememorar a concepção de Ariano Suassuna, segundo qual aponta que a injustiça secular é capaz de dividir a sociedade brasiliana em duas vertentes: dos favorecidos e dos despossuídos. Nessa lógica, vê–se um contexto análogo à premissa do pensador, uma vez que significativa parcela do tecido social é vetada de interferir através do voto, o destino da nação, por não possuírem a documentação adequada para formulação do título eleitoral, em que, por conseguinte acarreta graves retrocessos ao público, como por exemplo : a separação inapropriada dos indivíduos e a ruptura nos princípios da democracia. Destarte, enquanto a negligente desproporção se mantiver vigente a acessibilidade à cidadania continuará afligindo o país.

Outrossim, verifica-se também a exclusão como uma questão associada ao imbróglio. Sob essa ótica, consoante os dados do IBGE milhões de brasileiros são inviabilizados por não apresentarem certidões de nascimento. Desse modo, presencia-se uma conjuntura hodierna semelhante com as informações apresentadas, visto que a maioria dos brasilianos são invisíveis perante o poder público, já que o comprovante de existência dos mesmos permanece ausente; deste modo, tal atitude discrepante , no entanto, priva os indivíduos de adquirirem seus respectivos direitos, seja por parte das retiras mensais de rendas ou acessar livrimente as unidades públicas– postos de saúde e escolas. Dessa forma, é inaceitável que a supressão protagonize a manifestação do revés.

Portanto, mitigar os assuntos relacionados ao acesso à cidadania é imprescindível. Sendo assim, cabe as mídias -  enquanto responsável pela rápida propagação de informações-, por meio da aliança com o governo, criar campanhas para
direcionar o público sobre os locais acessíveis e gratuitos para realização da documentação , cujo intuito é amenizar a desigualdade e também o esquecimento através dessas medidas. Feito isso, poder- se-á evidenciar a realidade na obra " Cidadãos de Papel" também fora do livro.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 107

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra domínio mediano da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com estrutura sintática mediana para o grau de escolaridade exigido, porém com alguns desvios morfossintáticos, de pontuação, de grafia ou de emprego do registro adequado ao tipo textual.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 173

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

0
#85088
Segundo o renomado escritor, Gilberto Dimenstein em sua obra " Cidadãos de Papel ", defende que todos os sujeitos devem usufruir os seus direitos. No entanto, quando se observa o cenário brasílico, nota- se que existem desafios atrelados para a acessibilidade da cidadania, no qual dificulta a ideia de Dimenstein. Logo, urge analisar a desigualdade social e a exclusão da coletividade como propulsores pela permanência do impasse.

Diante desse cenário, insta salienar que a  disparidade social potencializa o revés. Acerca disso, é oportuno rememorar a concepção de Ariano Suassuna, segundo qual aponta que a injustiça secular é capaz de dividir a sociedade brasiliana em duas vertentes: dos favorecidos e dos despossuídos. Nessa lógica, vê–se um contexto análogo à premissa do pensador, uma vez que significativa parcela do tecido social é vetada de interferir através do voto, o destino da nação, por não possuírem a documentação adequada para formulação do título eleitoral, em que, por conseguinte acarreta graves retrocessos ao público, como por exemplo : a separação inapropriada dos indivíduos e a ruptura nos princípios da democracia. Destarte, enquanto a negligente desproporção se mantiver vigente a acessibilidade à cidadania continuará afligindo o país.

Outrossim, verifica-se também a exclusão como uma questão associada ao imbróglio. Sob essa ótica, consoante os dados do IBGE milhões de brasileiros são inviabilizados por não apresentarem certidão de nascimento. Desse modo, presencia-se uma conjuntura hodierna semelhante com as informações apresentadas, visto que a maioria dos brasilianos são invisíveis perante o poder público, já que o comprovante de existência dos mesmos permanece ausente; deste modo, tal atitude discrepante , no entanto, priva os indivíduos de adquirirem seus respectivos direitos, seja por parte das retiras mensais de rendas ou acessar livrimente as unidades públicas– postos de saúde e escolas. Dessa forma, é inaceitável que a supressão protagonize a manifestação do revés.

Portanto, mitigar os assuntos relacionados ao acesso à cidadania é imprescindível. Sendo assim, cabe as mídias -  enquanto responsável pela rápida propagação de informações-, por meio da aliança com o governo, criar campanhas para
direcionar o público sobre os locais acessíveis e gratuitos para realização da documentação , cujo intuito é amenizar a desigualdade, e o esquecimento na contemporaneidade. Feito isso, poder- se-á evidenciar a realidade na obra " Cidadãos de Papel" também fora do livro.
0
#85099
Aqui está a análise da sua redação:

Introdução
Erro: Remova o “Segundo”, ele fica desnecessário na frase.
Erro: Nesse caso, não é “no qual”, e sim “os quais”.
Opinião do leitor: Boa introdução!

D1
Erro: O certo é “salientar”, e não “salienar”.
Erro: Aqui, é “a qual”, e não apenas “qual”.
Erro: Não é “em que”, e sim “o que”.
Erro: O “por conseguinte” fica entre vírgulas.
Erro: Remova o “por exemplo:” da frase, ele fica desnecessário.
Erro: Existe uma vírgula aqui. Correto: Manter vigente, a acessibilidade...
Sugestão: Você embasou o seu parágrafo quanto ao voto, o que ficou estranho, uma vez que esse poderia ser uma simples consequência da realidade miserável das pessoas sem registro civil. Então, minha sugestão é que você desenvolva a tese com calma – nesse caso, a desigualdade social – e, depois, mostre a consequência disso – nesse caso, não poder votar.
Opinião do leitor: Foi um bom parágrafo!

D2
Erro: Existe uma vírgula aqui. “IBGE, milhões...”
Erro: O dado diz que milhões de brasileiros são “inviabilizados”. Porém, eles são inviabilizados de, exatamente, o quê? Isso ficou vago.
Erro: O conectivo “no entanto”, aqui, ficou errado, pois você não está se opondo à ideia anterior. Um conectivo ideal seria o “consequentemente”, já que a ideia, nesse caso, é uma consequência da anterior.
Opinião do leitor: Bom parágrafo! A argumentação ficou bem feita.

Conclusão
Erro: Não existe vírgula aqui. Correto: Desigualdade e o esquecimento...
Opinião do leitor: Proposta completa! Parabéns!

Pensamentos finais
Olá! Sua redação ficou excelente em vários aspectos, apenas melhore esses que eu pontuei que você irá melhorar bastante. Um abraço!

O impossível era impossível, até que alguém tentou e conseguiu.
0

Desde o Iluminismo, movimento filosófico qu[…]

O ex-presidente Michel temer durante sua gest&atil[…]

Prudência&Sofisticação

samarahbp anasilva1 Anna1

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM