Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Erica1903
Quantidade de postagens
#59035
A Declaração Universal dos Direitos Humanos - promulgada em 1948 - defende a manutenção do respeito entre os povos de uma mesma nação. No entanto, no cenário brasileiro atual, observa-se justamente o contrário, quanto à questão da intolerância religiosa. Nesse sentido, observa-se um delicado problema que tem como causas a negligência governamental e a criação de estereótipos dentro da sociedade

A priori, é imperioso destacar que a insuficiência de leis bloqueia no que concerne para que uma solução entre em vigor no problema. Para Hannah Arendt, pode considerar a diversidade como inerente à condição humana, de modo que os indivíduos deveriam estar habituados à convivência como diferente. Tal constatação é nítida na intolerância religiosa, visto que o preconceito religioso se encaixa no pensamento de Hannah, assim, inverter a lógica e colocar os valores humanos em primeiro lugar é urgente.

Em paralelo, a precária relevância do Poder Público é um entrave no tange ao problema. Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Porém, há um silenciamento instaurado na questão da intolerância religiosa, visto que é inserido na sociedade a marginalização em diversas religiões. Assim, urge tirar essa situação da invisibilidade para atuar sobre ela, como defende a pensadora.

Urge, portanto, que medidas estratégicas sejam criadas para reverter essa realidade. Para isso, o Poder Público deve investir na intolerância religiosa, por meio da destinação de verbas, a fim de reverter a supremacia de interesses mercadológicos que impera. Tal ação pode, ainda, ser divulgada na mídia de massa para que a população tome conhecimento.
Paralelamente, é preciso intervir sobre a falta de debates acerca desse problema em âmbitos sociais, como, por exemplo, em escolas. Dessa forma, o Brasil poderá ter menos “cidadão de papel” como defendeu Dimenstein.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A constituição federal de 1988, docu[…]

Violência doméstica

Agressão a Maria da Penha Vemos que atualm[…]

Obesidade no Brasil

Segundo dados do IBGE, em 2019 um quarto da popula[…]

Medo provocado por pandemia

*Medo causado pela pandemia* Diante de um cas[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM