Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#58007
Atualmente o estilo musical funk que surgiu em meados da década de 80 está cada dia popularizando nas casas de muitos brasileiros. Logo, na época da ditadura militar no Brasil de 1964 foi pouco escutado na mídia pela imensa censura do governo brasileiro pelo simples fato das letras usarem referência ao crime. Logo, pode-se ressaltar que mesmo sendo um estilo popular em várias cidades brasileiras a indústria musical cada dia cresce na mídia insinuando o machismo e perturbação na sociedade.

Em primeiro plano, isso torna-se um grande desafio para a população que prefere um estilo de música clássica e menos vulgar, já o funk é o contrário desse ritmo por conter em suas músicas a erotização infantil, drogas, frases de baixo calão e letras que refere a mulher como objeto sexual. Imediatamente, como o Brasil está em uma pandemia do covid-19, muitos profissionais da saúde recomendam o uso de máscara e distanciamento social para evitar a propagação do vírus. Entretanto, os bailes funk que estão proibidos no Brasil se torna um grande problema por ter grandes casos de festas clandestinas em várias cidades provocando aglomeração e aumentando casos de infecção pelo vírus. E em seguida, mesmo esse ritmo seja ouvido por muitos jovens que muitas vezes dispensar essas recomendações dos profissionais e causando vários problemas para aqueles que são grupo de risco como os idosos.

Nesse contexto, o consumo inadequado desse ritmo sonoro para os menores de idade é um problema para os pais, por simples fato de cantores influenciarem esses menores a consumo de certos produtos que não é apropriado para sua idade como drogas e bebidas alcóolicas tornando-se uma questão social. Embora, a música não é um problema e sim a letra que causa desconforto para muitos moradores que usam palavras machistas, cenas de pornografias e apologia ao crime. Assim que, a pesquisa feita pelo Doutor em psicologia social Tobias Greitemeyer revelou que músicas machistas faz os ouvintes serem mais agressivos contra a mulheres.

Dessa forma, tendo em vista a influência que a música trás para os brasileiros, o Ministério da Educação com apoio ao Legislativo deve criar uma lei com objetivo de proteger essas crianças por meio de analisar e vigiar músicas que influencia os consumidores a fazer tais badernas a fim de que não tenha músicas do estilo funk com letras de baixo calão a propagar a violência nos cidadãos mais vulneráveis.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 113

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra domínio mediano da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com estrutura sintática mediana para o grau de escolaridade exigido, porém com alguns desvios morfossintáticos, de pontuação, de grafia ou de emprego do registro adequado ao tipo textual.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão. Embora ainda possa apresentar alguns problemas no desenvolvimento das ideias, o tema, em seu texto, é bem desenvolvido, com indícios de autoria e certa distância do senso comum demonstrando bom domínio do tipo textual exigido.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 127

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 153

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 147

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, articulada e abrangente, ainda que sem suficiente detalhamento.

#58065
Erros de pontuação; não houve planejamento: não há teses na introdução; falta de estruturação; períodos longos demais; fez a conclusão toda em um período, como assim???; no mais, entendeu a proposta e soube argumentar, mas teve muito "logo" na introdução!! use outros conectivos!!! Bom vocabulário, de acordo com as normas! Parabéns! Bons estudos!!
#58086
Atualmente, o estilo musical funk, que surgiu em meados da década de 80, está cada dia se popularizando nas casas de muitos brasileiros. Logo, na época da ditadura militar no Brasil de 1964 foi pouco escutado na mídia pela imensa censura do governo brasileiro pelo simples fato das letras usarem referência ao crime. [trocar conectivo] Logo, pode-se ressaltar que mesmo sendo um estilo popular em várias cidades brasileiras a indústria musical cada dia cresce na mídia insinuando o machismo e perturbação na sociedade. [não apresentou bem a sua tese]

Em primeiro plano, isso < o que?] torna-se um grande desafio para a população que prefere um estilo de música clássica e menos vulgar, já o funk é o contrário desse ritmo por conter em suas músicas a erotização infantil, drogas, frases de baixo calão e letras que refere a mulher como objeto sexual. Imediatamente, como o Brasil está em uma pandemia do covid-19, muitos profissionais da saúde recomendam o uso de máscara e distanciamento social para evitar a propagação do vírus. Entretanto, os bailes funk que estão proibidos no Brasil se tornam um grande problema por ter grandes casos de festas clandestinas em várias cidades provocando aglomeração e aumentando casos de infecção pelo vírus. E em seguida, mesmo esse ritmo seja ouvido por muitos jovens que muitas vezes dispensar essas recomendações dos profissionais e causando vários problemas para aqueles que são grupo de risco como os idosos.
* Ficou no senso comum, procure comprovar seu argumento com repertório pertinente

Nesse contexto, o consumo inadequado desse ritmo sonoro para os menores de idade é um problema para os pais, pelo simples fato de cantores influenciarem esses menores a consumo de certos produtos que não é apropriado para sua idade como drogas e bebidas alcóolicas tornando-se uma questão social. Embora, a música não seja um problema e sim a letra que causa desconforto para muitos moradores que usam palavras machistas, cenas de pornografias e apologia ao crime. Assim, que, a pesquisa feita pelo Doutor em psicologia social Tobias Greitemeyer revelou que músicas machistas faz os ouvintes serem mais agressivos contra a mulheres.
* Precisa organizar melhor suas ideias na estrutura do desenvolvimento
* Apresentar o argumento + repertório + argumentação + arrematação


Dessa forma, tendo em vista a influência que a música traz para os brasileiros, o Ministério da Educação com o apoio do Legislativo deve criar uma lei com objetivo de proteger essas crianças por meio de analisar e vigiar < faltou concordância e coerência do que escreve] músicas que influencia os consumidores a fazer tais badernas a fim de que não tenha músicas do estilo funk com letras de baixo calão a propagar a violência nos cidadãos mais vulneráveis.
* Tem que melhorar o detalhamento da intervenção
#58113
jherodrigues escreveu:Atualmente, o estilo musical funk, que surgiu em meados da década de 80, está cada dia se popularizando nas casas de muitos brasileiros. Logo, na época da ditadura militar no Brasil de 1964 foi pouco escutado na mídia pela imensa censura do governo brasileiro pelo simples fato das letras usarem referência ao crime. [trocar conectivo] Logo, pode-se ressaltar que mesmo sendo um estilo popular em várias cidades brasileiras a indústria musical cada dia cresce na mídia insinuando o machismo e perturbação na sociedade. [não apresentou bem a sua tese]

Em primeiro plano, isso < o que?] torna-se um grande desafio para a população que prefere um estilo de música clássica e menos vulgar, já o funk é o contrário desse ritmo por conter em suas músicas a erotização infantil, drogas, frases de baixo calão e letras que refere a mulher como objeto sexual. Imediatamente, como o Brasil está em uma pandemia do covid-19, muitos profissionais da saúde recomendam o uso de máscara e distanciamento social para evitar a propagação do vírus. Entretanto, os bailes funk que estão proibidos no Brasil se tornam um grande problema por ter grandes casos de festas clandestinas em várias cidades provocando aglomeração e aumentando casos de infecção pelo vírus. E em seguida, mesmo esse ritmo seja ouvido por muitos jovens que muitas vezes dispensar essas recomendações dos profissionais e causando vários problemas para aqueles que são grupo de risco como os idosos.
* Ficou no senso comum, procure comprovar seu argumento com repertório pertinente

Nesse contexto, o consumo inadequado desse ritmo sonoro para os menores de idade é um problema para os pais, pelo simples fato de cantores influenciarem esses menores a consumo de certos produtos que não é apropriado para sua idade como drogas e bebidas alcóolicas tornando-se uma questão social. Embora, a música não seja um problema e sim a letra que causa desconforto para muitos moradores que usam palavras machistas, cenas de pornografias e apologia ao crime. Assim, que, a pesquisa feita pelo Doutor em psicologia social Tobias Greitemeyer revelou que músicas machistas faz os ouvintes serem mais agressivos contra a mulheres.
* Precisa organizar melhor suas ideias na estrutura do desenvolvimento
* Apresentar o argumento + repertório + argumentação + arrematação


Dessa forma, tendo em vista a influência que a música traz para os brasileiros, o Ministério da Educação com o apoio do Legislativo deve criar uma lei com objetivo de proteger essas crianças por meio de analisar e vigiar < faltou concordância e coerência do que escreve] músicas que influencia os consumidores a fazer tais badernas a fim de que não tenha músicas do estilo funk com letras de baixo calão a propagar a violência nos cidadãos mais vulneráveis.
* Tem que melhorar o detalhamento da intervenção
Boa tarde jhero, tudo bem? então vi que eu estou melhorando a cada redação que faço e fico cada dia grato por corrigi-las espero que eu te impressione :mrgreen:
#58244
@maiconpgtu, oi!

Obs: não apontarei o que a Jhe já disse.

Atualmente o estilo musical funk que surgiu em meados da década de 80 está cada dia popularizando nas casas de muitos brasileiros. Logo(1), na época da ditadura militar no Brasil de 1964 foi pouco escutado na mídia pela imensa censura do governo brasileiro pelo simples fato das letras usarem referência ao crime (2). Logo, pode-se ressaltar que mesmo sendo um estilo popular em várias cidades brasileiras a indústria musical cada dia cresce na mídia insinuando o machismo e perturbação na sociedade.(3)
(1) Esse conectivo não coube bem aqui. O "logo" é usado como consequência de algo, e esse não é o caso que você colocou. O funk ser censurado na ditadura não é consequência de nada que apresentou anteriormente.
(2) Não entendi muito bem como esse caso da ditadura se relaciona ao tema.
(3) A indústria musical ou o funk?

Em primeiro plano, isso torna-se um grande desafio para a população que prefere um estilo de música clássica e menos vulgar, já o funk é o contrário desse ritmo por conter em suas músicas a erotização infantil, drogas, frases de baixo calão e letras que refere referem-se a à mulher como objeto sexual. Imediatamente, como o Brasil está em uma pandemia do covid-19, muitos profissionais da saúde recomendam o uso de máscara e distanciamento social para evitar a propagação do vírus. Entretanto, os bailes funk que estão proibidos no Brasil se torna tornam um grande problema por ter grandes casos de festas clandestinas em várias cidades, o que provoca aglomeração e, por consequência, aumenta o número de provocando aglomeração e aumentando casos de infecção pelo vírus. E em seguida, mesmo esse ritmo seja ouvido por muitos jovens que muitas vezes dispensar essas recomendações dos profissionais e causando vários problemas para aqueles que são grupo de risco como os idosos.
Concordo com a Jhe, ficou no senso comum porque não apresentou nada. Sem contar que não esclareceu o ponto de vista sobre o tema: o funk é cultura ou um instrumento da mídia?

Nesse contexto, o consumo inadequado desse ritmo sonoro para os menores de idade é um problema para os pais, por simples fato de cantores influenciarem esses menores ao consumo de certos produtos que não é apropriado para sua idade, como drogas e bebidas alcóolicas, tornando-se assim uma questão social. Embora, a música não é um problema e sim a letra que causa desconforto para muitos moradores que usam(4) , pois elas utilizam palavras machistas, cenas de pornografias e apologia ao crime. Assim que, a pesquisa feita pelo Doutor em psicologia social Tobias Greitemeyer revelou que músicas machistas faz fazem os ouvintes serem mais agressivos contra a mulheres.
(4) A sua expressão não estava errada, só mal colocada. Do jeito que foi escrito deu a entender que os moradores usavam palavras machistas e etc, o certo é utilizar o pronome para retomar à música.
Novamente, concordo com a Jhe. Deu para perceber que você acha que a música é um instrumento da mídia, mas mesmo assim as suas ideias ficaram muito desorganizadas.

Dessa forma, tendo em vista a influência que a música trás para os brasileiros, o Ministério da Educação com apoio ao Legislativo deve criar uma lei com objetivo de proteger essas crianças por meio(5) de analisar e vigiar músicas que influencia influenciam os consumidores a fazer fazerem tais badernas, a fim de que não tenha músicas do estilo funk com letras de baixo calão a e que ajudem apropagar a violência nos cidadãos mais vulneráveis.
(5) Esse por meio não caiu bem, tente outro conectivo ou mude a estrutura.
Proposta meio vaga, como o governo vai vigiar e analisar músicas? Isso é impossível. O Estado não pode proibir esse tipo de coisa, lembrando que no início do seu texto você apresentou a ditadura como exemplo de governo que censura a música ao público. Outro ponto, quem protege as crianças contra esse tipo de coisa são os pais dela. Tome bastante cuidado para não montar uma conclusão ilógica.


Te aconselho muito a ver algum vídeo sobre estrutura de redação, vai te ajudar bastante! Espero ter sido útil, qualquer coisa pode me falar, abraços e bons estudos 🤍

Geralcinoj Você poderia corrigir, por fav[…]

A Lei nº 9.605 estabelece que é crime […]

Cogita-se que o Brasil é o país mais[…]

Vacinação: uma controvérsi[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM