Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
Por CibelliMV
#47270
Em “Ética a Nicômaco”, Aristóteles defende que a felicidade é o maior bem desejado pelos homens e o fim das ações humanas. Partindo desse pressuposto a filosofia aristotélica é teleológica, ou seja, está orientada por uma finalidade, identificada de forma equivocada à aqueles de grande poder patrimonial, como uma vida guiada pelo prazer. As pessoas que vivem assim, e que são a maior parte, pensam que o bem e a felicidade são sinônimos de satisfação de impulsos.
Em primeiro plano deve-se salientar que devido à realidade imposta sobre o excesso de capitalismo, acaba impulsionando uma sociedade a desejar por uma imagem alterada, estimulada pelo consumo de bens. Disto que, um estudo do pesquisador Angus Deaton, da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, mostrou que somente o dinheiro não traz felicidade, mas a falta dele pode gerar angústia e infelicidade. Ou seja o objetivo que detém o capital e os meios de produção é obter a maior quantidade de lucro possível, com tudo exige suprir uma série de necessidades do ser humano, afetando de tal forma o seu bem-estar e impedindo a realização de atividades familiares, porém em virtude de sua ausência, dificulta o fornecimento de uma estrutura de vida pertinente, em um sistema de propriedade privada.
Sobretudo a problemática está desde dos precedentes da cultura do “poucos tem muito e muitos tem pouco”, atualmente conhecida como desigualdade social, junto ao excesso de propagandas que estimulam o consumismo inconsciente, de tal forma que, incentiva as pessoas a idealizar que riqueza traz autorrealização pessoal. Ademais, uma pesquisa do Instituto Akatu aponta que 76% dos 1.090 entrevistados homens e mulheres como mais de 16 anos não praticam o consumo consciente. Desde já, é nítido a obtenção acima do necessário, eventualmente, poderá trazer revés adquirido pela sensação inimaginável do acúmulo de bens, visto que ocorre a perde de disposição para a realização de outras conquistas.
Portanto ter uma vida equilibrada e controlada no que se diz a respeito de seus recursos matérias e investir em experiências é uma forma de ter felicidade trazida pelo dinheiro, já que a desorganização financeira pode afetar sua saúde. Com tudo, teriam que ser realizadas sob a perspectiva do necessário e não por impulsos. O dinheiro pode ser visto como uma oportunidade para alcançar a felicidade, um meio para ela, mas não concretizada em se. Isso porque o mesmo serve para atender e satisfazer as nossas expectativas, mas quem não sabe identificar o que lhe faz feliz tampouco saberá o que fazer com os seus pertences.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão. Embora ainda possa apresentar alguns problemas no desenvolvimento das ideias, o tema, em seu texto, é bem desenvolvido, com indícios de autoria e certa distância do senso comum demonstrando bom domínio do tipo textual exigido.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, mas limitados aos argumentos dos textos motivadores e pouco organizados, ou seja, os argumentos estão pouco articulados, além de relacionados de forma pouco consistente ao ponto de vista defendido.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula de forma mediana as partes do texto com inadequações ou alguns desvios e apresenta repertório pouco diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 0

Você não atingiu os critérios definidos na Competência 5. O participante não apresenta proposta de intervenção ou apresenta proposta não relacionada ao tema ou ao assunto.

Por CibelliMV
#47627
Ashiley escreveu:
CibelliMV escreveu:@Ashiley
Oi, de novo!!! Poderia dar uma olhada nessa minha redação? 😊😊
Posso sim.
Oi só passando para dizer que ñ é para esquecer de corrigir, eu sei que vc deve tá lotada de redações, mas dê uma olhada 😘
Avatar do usuário
Por Ashiley
#47628
CibelliMV escreveu:
Ashiley escreveu:
CibelliMV escreveu:@Ashiley
Oi, de novo!!! Poderia dar uma olhada nessa minha redação? 😊😊
Posso sim.
Oi só passando para dizer que ñ é para esquecer de corrigir, eu sei que vc deve tá lotada de redações, mas dê uma olhada 😘
Que bom que me lembrou, hoje ainda eu faço comentários tá? ;)
Avatar do usuário
Por Ashiley
#47682
@CibelliMV

Erros
Correção
Comentários
Os 5 elementos
Outras observações

Introdução
Em “Ética a Nicômaco”, Aristóteles defende que a felicidade é o maior bem desejado pelos homens e o fim das ações humanas. Partindo desse pressuposto a filosofia aristotélica é teleológica, ou seja, está orientada por uma finalidade, identificada de forma equivocada à aqueles de grande poder patrimonial, como uma vida guiada pelo prazer. As pessoas que vivem assim, e que são a maior parte, pensam que o bem e a felicidade são sinônimos de satisfação de impulsos.
Sua introdução precisa de alguns ajustes. O segundo período (problematização) deveria estar melhor relacionado ao repertório. Já a tese deveria citar seus dois argumentos.


Desenvolvimento 1
Em primeiro plano deve-se salientar que devido à realidade imposta sobre o excesso de capitalismo, acaba impulsionando uma sociedade a desejar por uma imagem alterada, estimulada pelo consumo de bens. Disto que, um estudo do pesquisador Angus Deaton, da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, mostrou que somente o dinheiro não traz felicidade, mas a falta dele pode gerar angústia e infelicidade. Ou seja o objetivo que detém o capital e os meios de produção é obter a maior quantidade de lucro possível, com tudo exige suprir uma série de necessidades do ser humano, afetando de tal forma o seu bem-estar e impedindo a realização de atividades familiares, porém em virtude de sua ausência, dificulta o fornecimento de uma estrutura de vida pertinente, em um sistema de propriedade privada.
Sobretudo a problemática está desde dos precedentes da cultura do “poucos tem muito e muitos tem pouco”, atualmente conhecida como desigualdade social, junto ao excesso de propagandas que estimulam o consumismo inconsciente, de tal forma que, incentiva as pessoas a idealizar que riqueza traz autorrealização pessoal.
Seu desenvolvimento está bom, mas seu tópico frasal poderia ser mais breve!


Desenvolvimento 2
Ademais, uma pesquisa do Instituto Akatu aponta que 76% dos 1.090 entrevistados homens e mulheres como mais de 16 anos não praticam o consumo consciente. Desde já, é nítido a obtenção acima do necessário, eventualmente, poderá trazer revés adquirido pela sensação inimaginável do acúmulo de bens, visto que ocorre a perde de disposição para a realização de outras conquistas.
Esse parágrafo está mal organizado. Não insira o repertório já no início, faça primeiro o tópico frasal. Como não há tópico praticamente, você não apresentou o argumento devidamente!

Conclusão
Portanto (vírgula) ter uma vida equilibrada e controlada no que se diz a respeito de seus recursos matérias e investir em experiências é uma forma de ter felicidade trazida pelo dinheiro, já que a desorganização financeira pode afetar sua saúde. Com tudo, teriam que ser realizadas sob a perspectiva do necessário e não por impulsos. O dinheiro pode ser visto como uma oportunidade para alcançar a felicidade, um meio para ela, mas não concretizada em se si. Isso porque o mesmo serve para atender e satisfazer as nossas expectativas, mas quem não sabe identificar o que lhe faz feliz tampouco saberá o que fazer com os seus pertences.
Você praticamente não fez uma proposta de intervenção, apenas concluiu o texto reafirmando o que já foi dito e isso te leva a nota 0 na C5. Cuidado!

Primeiramente você falou de um tema meio filosófico, ou seja, coisa que o ENEM não cobra. O exame cobra apenas problemas sociais e todo problemas possui causas ou consequências, isso que você deveria abordar, princesa. Na C1 você peca em desvios considerados poucos. Na C2, repertórios mal inseridos. Na C3, boa argumentação, mas não seguiu um projeto de texto adequado. Na C4, faltou alguns conectivos. Na C5, não possui proposta de intervenção. Bons estudos!
Por CibelliMV
#47687
Ashiley escreveu:@CibelliMV

Erros
Correção
Comentários
Os 5 elementos
Outras observações

Introdução
Em “Ética a Nicômaco”, Aristóteles defende que a felicidade é o maior bem desejado pelos homens e o fim das ações humanas. Partindo desse pressuposto a filosofia aristotélica é teleológica, ou seja, está orientada por uma finalidade, identificada de forma equivocada à aqueles de grande poder patrimonial, como uma vida guiada pelo prazer. As pessoas que vivem assim, e que são a maior parte, pensam que o bem e a felicidade são sinônimos de satisfação de impulsos.
Sua introdução precisa de alguns ajustes. O segundo período (problematização) deveria estar melhor relacionado ao repertório. Já a tese deveria citar seus dois argumentos.


Desenvolvimento 1
Em primeiro plano deve-se salientar que devido à realidade imposta sobre o excesso de capitalismo, acaba impulsionando uma sociedade a desejar por uma imagem alterada, estimulada pelo consumo de bens. Disto que, um estudo do pesquisador Angus Deaton, da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, mostrou que somente o dinheiro não traz felicidade, mas a falta dele pode gerar angústia e infelicidade. Ou seja o objetivo que detém o capital e os meios de produção é obter a maior quantidade de lucro possível, com tudo exige suprir uma série de necessidades do ser humano, afetando de tal forma o seu bem-estar e impedindo a realização de atividades familiares, porém em virtude de sua ausência, dificulta o fornecimento de uma estrutura de vida pertinente, em um sistema de propriedade privada.
Sobretudo a problemática está desde dos precedentes da cultura do “poucos tem muito e muitos tem pouco”, atualmente conhecida como desigualdade social, junto ao excesso de propagandas que estimulam o consumismo inconsciente, de tal forma que, incentiva as pessoas a idealizar que riqueza traz autorrealização pessoal.
Seu desenvolvimento está bom, mas seu tópico frasal poderia ser mais breve!


Desenvolvimento 2
Ademais, uma pesquisa do Instituto Akatu aponta que 76% dos 1.090 entrevistados homens e mulheres como mais de 16 anos não praticam o consumo consciente. Desde já, é nítido a obtenção acima do necessário, eventualmente, poderá trazer revés adquirido pela sensação inimaginável do acúmulo de bens, visto que ocorre a perde de disposição para a realização de outras conquistas.
Esse parágrafo está mal organizado. Não insira o repertório já no início, faça primeiro o tópico frasal. Como não há tópico praticamente, você não apresentou o argumento devidamente!

Conclusão
Portanto (vírgula) ter uma vida equilibrada e controlada no que se diz a respeito de seus recursos matérias e investir em experiências é uma forma de ter felicidade trazida pelo dinheiro, já que a desorganização financeira pode afetar sua saúde. Com tudo, teriam que ser realizadas sob a perspectiva do necessário e não por impulsos. O dinheiro pode ser visto como uma oportunidade para alcançar a felicidade, um meio para ela, mas não concretizada em se si. Isso porque o mesmo serve para atender e satisfazer as nossas expectativas, mas quem não sabe identificar o que lhe faz feliz tampouco saberá o que fazer com os seus pertences.
Você praticamente não fez uma proposta de intervenção, apenas concluiu o texto reafirmando o que já foi dito e isso te leva a nota 0 na C5. Cuidado!

Primeiramente você falou de um tema meio filosófico, ou seja, coisa que o ENEM não cobra. O exame cobra apenas problemas sociais e todo problemas possui causas ou consequências, isso que você deveria abordar, princesa. Na C1 você peca em desvios considerados poucos. Na C2, repertórios mal inseridos. Na C3, boa argumentação, mas não seguiu um projeto de texto adequado. Na C4, faltou alguns conectivos. Na C5, não possui proposta de intervenção. Bons estudos!
Obrigada!! Senti um pouco de dificuldade de fazer essa redação mesmo :D por conta do tema, que foi dado pelo meu livro, mas ajudou muito.

É notório o aumento excessivo na num[…]

Estima-se que apenas 10% da populaçã[…]

Desde sempre na humanidade a oralidade está[…]

A constituição federal de 1988, docu[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM