Avatar do usuário
Por Gabyzinha12
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#72317
A constituição federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 5º, o direito à igualdade como inerente a todo cidadão brasileiro. Contudo, tal prerrogativa não tem se reverberado com ênfase na prática quando se observa as diversas diferenças entre as relações de gênero,dificultando,deste modo,a universalização desse direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, faz-se imperiosa a análise dos fatores que favorecem esse quadro.
Em uma primeira análise, deve-se ressaltar a ausência de medidas governamentais para combater essas diferenças.Segundo as ideias do filósofo contratualista John Locke, configura-se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a igualdade e o trabalho, o que infelizmente é evidente no país.
Ademais,é fundamental apontar a diferença salarial como impulsionador das diferenças hierarquias nas relações de gênero no Brasil. Segundo o IBGE, em 2019 o salário médio das mulheres ficou em dois mil cento e doze, enquanto o dos homens alcançou dois mil oitocentos e sessenta e três, o que significa que elas ganharam 26,5% a menos do que eles. Diante de tal exposto essa diferença salarial é muitas vezes decorrente do baixo número de mulheres em cargos gerenciais dentre outros fatores. Logo, é inadmissível que esse cenário continue a perdurar. Depreende-se, portanto, a necessidade de se combater esses obstáculos. Para isso, é imprescindível que o Ministério do Trabalho crie, por intermédio de verbas governamentais,campanhas publicitárias a fim de incentivar o debate frequente sobre o tema. Assim, tornar-se-á possível a construção de uma sociedade permeada pela efetivação dos elementos elencados na Magna Carta
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Avatar do usuário
Por Gabyzinha12
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#72318
A constituição federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 5º, o direito à igualdade como inerente a todo cidadão brasileiro. Contudo, tal prerrogativa não tem se reverberado com ênfase na prática quando se observa as diversas diferenças entre as relações de gênero,dificultando,deste modo,a universalização desse direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, faz-se imperiosa a análise dos fatores que favorecem esse quadro.

Em uma primeira análise, deve-se ressaltar a ausência de medidas governamentais para combater essas diferenças.Segundo as ideias do filósofo contratualista John Locke, configura-se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a igualdade e o trabalho, o que infelizmente é evidente no país.

Ademais,é fundamental apontar a diferença salarial como impulsionador das diferenças hierarquias nas relações de gênero no Brasil. Segundo o IBGE, em 2019 o salário médio das mulheres ficou em dois mil cento e doze, enquanto o dos homens alcançou dois mil oitocentos e sessenta e três, o que significa que elas ganharam 26,5% a menos do que eles. Diante de tal exposto essa diferença salarial é muitas vezes decorrente do baixo número de mulheres em cargos gerenciais dentre outros fatores. Logo, é inadmissível que esse cenário continue a perdurar.

Depreende-se, portanto, a necessidade de se combater esses obstáculos. Para isso, é imprescindível que o Ministério do Trabalho crie, por intermédio de verbas governamentais,campanhas publicitárias a fim de incentivar o debate frequente sobre o tema. Assim, tornar-se-á possível a construção de uma sociedade permeada pela efetivação dos elementos elencados na Magna Carta.
0
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
1 Respostas 
333 Exibições
por gii0807
Conviver com as diferenças no mundo virtual
por Noemy8110    - In: Outros temas
0 Respostas 
112 Exibições
por Noemy8110
0 Respostas 
24 Exibições
por Lara2007
4 Respostas 
68 Exibições
por Isabela0272
3 Respostas 
407 Exibições
por Gi69
0 Respostas 
121 Exibições
por PedroEdson1
1 Respostas 
297 Exibições
por anasilva1
0 Respostas 
106 Exibições
por Artemizy
2 Respostas 
5175 Exibições
por nicolas2003
1 Respostas 
215 Exibições
por Marixal

Na obra "A política" de A[…]

O tema do texto ser trata de obesidade infantil no[…]

Invisibilidade civil

Em 1888 foi o ano em que a "lei Áu[…]

“ A maior desgraça de uma naç&[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM