Página 1 de 1

Desmatamento da Amazônia e do Cerrado: O Papel do Brasil no impedimento do avanço das mudanças climáticas

Enviado: 12 Mai 2022, 16:01
por gabrielphdf
A animação "O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida" se passa em Seedville, uma cidade que não possui árvores verdadeiras. Consequentemente, também não há oxigênio natural, com este sendo comercializado pela empresa O'hare para ser consumido através de máquinas equivalentes ao purificador, assim como os alimentos, que são produzidos com plástico. Ted, o protagonista da obra, é apaixonado por uma menina cujo maior sonho é ter uma árvore real. Disposto a conquistá-la, ele deixa a cidade em busca de Umavez-ildo, que saberia lhe contar o que houve com as árvores. Encontrando-o em um casebre solitário num cenário pós-apocalíptico de podridão e ar irrespirável, Ted descobre que todas foram derrubadas graças a ganância e ambição de Umavez-ildo que, tendo tido um pequeno lucro com uma criação sua na qual tinha muita fé e desejando provar seu valor para sua família e o mundo, cortou as árvores afim de possuir mais matéria prima, com a certeza de que cumpriria seu propósito, o que não aconteceu; a matéria prima se esgotou e Umavez-ildo fora largado por todos que amava num ambiente devastado. Nota-se que a problemática apresentada expõe uma realidade capaz de se concretizar fora da ficção num futuro não tão distante, uma vez que nos últimos 2, 3 anos, a Floresta Amazônica, bioma fundamental para frear o avanço das mudanças climáticas e o Cerrado, essencial para o equilíbrio hidrológico do Brasil, vêm sofrendo com quilômetros exorbitantes de hectares destruídos em benefício da expansão do agronegócio. A partir desse contexto, não se pode hesitar — é de suma importância compreender os crescentes impactos gerados pelo aumento do desmatamento.
É fato que já são nítidas algumas das graves consequências de tal atividade, que é praticada majoritariamente de maneira ilegal, no meio-ambiente brasileiro: de acordo com dados de fevereiro de 2022 do World Wildlife Fund Brasil, a fauna de ambos ecossistemas já perderam, juntas, alarmantes 90% de seu habitat natural, o que acarretou na extinção de algumas espécies e na locomoção de outras para áreas bem mais próximas das cidades. Além disso, o clima mundial também vem sendo afetado com ondas de calor anormais, que provocam incêndios florestais em escalas demasiadamente abrangentes para serem contidas antes que causem danos, e desabastecimento de água em diversos locais pela enorme demanda.
Nessa perspectiva, é imprescindível considerar que o desmonte, por parte do governo federal, das políticas de leis de proteção ambiental, possui uma relevância incomparável para a formação desse cenário, pois, ao diminuir ou zerar a fiscalização em áreas protegidas, abre-se espaço para a livre operação de garimpeiros e madeireiros ilegais, já denunciados por diversas vezes por tribos indígenas como os yanomami e tapajó, com estes tornando-se alvos de violentas retaliações por tais atos, o que vem resultando no assassinato de lideranças indígenas, crianças e no incendeio de aldeias.

Portanto, é de urgência que os membros dos órgãos federais brasileiros, em especial o Presidente da República e o Ministro do Meio Ambiente, reflitam sobre o prejuízo causado pela desarticulação para o futuro do planeta e do país, para assim retomarem as estruturas de fiscalização e, em conjunto, implementarem um modelo econômico de produção baseado no desenvolvimento sustentável. Ademais, promovam políticas de reflorestamento das áreas devastadas com espécies nativas e repovoamento de animais para, assim, ser evitado que a realidade apresentada na obra "O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida" saia das telas e se concretize.