Avatar do usuário
Por dudamaral
Quantidade de postagens
#126004
O artigo 6° da Constituição Federal de 1988, assegura a todos os indivíduos do acesso ao trabalho como direito. No entanto, é de conhecimento geral que na atual realidade brasileira, não há cumprimento dessa garantia, especialmente no que diz respeito à visibilidade do trabalho assistencial, o que impossibilita a difusão desse direito fundamental. Isso ocorre seja pelo descaso governamental, seja pela desigualdade da sociedade na qual estão inseridas. Dessa maneira, é imperioso que essa chaga cultural seja resolvida.
Em primeiro plano, é válido ressaltar a ausência de medidas governamentais nesse âmbito. Segundo o pensador inglês Thomas Hobbes, o governo é responsável por garantir o bem-estar da sociedade. Entretanto, pode-se observar que na República Federativa Brasileira, já houve avanços a respeito da forma que a mulher é inserida no corpo social, mas ainda existem indícios de descaso por parte estatal, como a má remuneração, que caracteriza um problema a ser sanado.
Ademais, é imprescindível destacar a desigualdade da sociedade como promotor do problema. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de mais de 58% do serviço assistencial é realizado por mulheres. Dessa maneira, o corpo social vê a mulher como dona de casa e cuidadora do lar, algo que já está enraizado na história e cultura. Por essa ótica, ao invés da sociedade gerar mais conhecimento sobre o trabalho de assistência, com esse pensamento preconceituoso e desigual, acaba intervindo na transformação social e na visibilidade deste serviço tão premente.
Diante dos desafios supramencionados, faz-se necessário a ação conjunta do Ministério de Trabalho e da sociedade para mitigá-los. A fim de que, juntamente promovam em escolas e espaços públicos, projetos e debates que visam discutir a importância e a visibilidade do trabalho assistencial no corpo social. Dessa forma, a sociedade passará a respeitar e valorizar todo trabalho feito por mulheres.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
2 Respostas 
1389 Exibições
por vertinho
0 Respostas 
334 Exibições
por EduardaH25
1 Respostas 
398 Exibições
por suy26737tnz
0 Respostas 
308 Exibições
por matheus2306
0 Respostas 
197 Exibições
por EuMaiza
0 Respostas 
196 Exibições
por EuMaiza
0 Respostas 
234 Exibições
por Rayane86
0 Respostas 
229 Exibições
por Euu4
5 Respostas 
439 Exibições
por Caiunao
0 Respostas 
296 Exibições
por anastiny
Férias

Boa tarde, pessoal. Vou tirar férias da pla[…]

Do campo a cidade

As inovações ocorridas no meio agr&i[…]

Felipe082 , valeuzão pela correç&at[…]

Caiunao , valeuzão!

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM