Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#47736
Na fórmula de Bhaskara, em matemática, a solução da função do segundo grau depende de suas raízes, ou seja, os valores de "x". De maneira análoga, ao se analisar os desafios para a boa nutrição no Brasil, compreende-se que é necessária a análise de suas incógnitas para solucionar a problemática. Logo, semelhante à equação, os coeficientes dessa adversidade estão diretamente relacionados à negligência estatal e a normalização de uma alimentação pouco nutritiva.

Em primeira instância, cabe ressaltar como o descaso estatal corrobora com o imbróglio. Dessarte, o sociólogo Émile Durkheim, constatou após inúmeros estudos, que é dever do poder público se responsabilizar pelas diretrizes que envolvam a coletividade estabelecendo, por conseguinte, o bem-estar social. No entanto, a fala do estudioso se manteve no plano teórico, tendo em vista que não há uma disciplina voltada à educação alimentar nas instituições públicas de ensino básico. Após o exposto, fica explícito como as crianças que não possuem acesso a esse tipo de informação no ambiente familiar, crescem sem o conhecimento acima da importância de uma alimentação de qualidade, e consequentemente leva hábitos alimentares maléficos para a vida adulta, pois sabe-se que na maioria das vezes, a alimentação da fase juvenil é estendida à fase adulta. Dessa forma, percebe-se que essa negligência estatal representa uma das causas do problema.

Ademais, é importante salientar como a normalização de uma alimentação pouco nutritiva, por parte do meio social, é um agravante da questão abordada. A filósofa judia Hannah Arendt, defende em sua teoria "banalidade do mal", que o comportamento nocivo é realizado inconscientemente quando banalizado. Da mesma maneira, a normalização de refeições deficientes nutricionalmente são causadas pela cultura do povo brasileiro, tendo em vista, que a proteína animal é o grande foco do prato, e não os vegetais, legumes e verduras. Desse modo, é esquecida a quantidade de variedades de alimentos de origem vegetal que complementam a alimentação tão bem quanto os produtos de origem animal, que também possuem seus valores nutricionais, porém, causam múltiplos problemas de saúde se não balanceados.

Portanto, entende-se, após o exposto, a real necessidade do Ministério da Educação promover aulas didáticas de nutrição e educação alimentar nas escolas, principalmente em zonas periféricas, em que os índices de alunos com famílias que entendem sobre o assunto é menor, por meio da liberação de verbas, a fim de garantir uma boa nutrição no país. Desse modo, essa importante questão pode ser solucionada.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#47743
@dudaramos1, claro! :D

Na fórmula de Bhaskara, em matemática, a solução da função do segundo grau depende de suas raízes, ou seja, os valores de "x". De maneira análoga, ao se analisar os desafios para a boa nutrição no Brasil, compreende-se que é necessária a análise de suas incógnitas para solucionar a problemática. Logo, semelhante à equação, os coeficientes dessa adversidade estão diretamente relacionados à negligência estatal e a normalização de uma alimentação pouco nutritiva.

Em primeira instância, cabe ressaltar como o descaso estatal corrobora com o imbróglio. Dessarte, o sociólogo Émile Durkheim, constatou após inúmeros estudos, que é dever do poder público se responsabilizar pelas diretrizes que envolvam a coletividade estabelecendo, por conseguinte, o bem-estar social. No entanto, a fala do estudioso se manteve no plano teórico, tendo em vista que não há uma disciplina voltada à educação alimentar nas instituições públicas de ensino básico. Após o exposto, fica explícito como as crianças que não possuem acesso a esse tipo de informação no ambiente familiar, crescem sem o conhecimento acima da importância de uma alimentação de qualidade, e consequentemente leva hábitos alimentares maléficos para a vida adulta, pois sabe-se que na maioria das vezes, a alimentação da fase juvenil é estendida à fase adulta. Dessa forma, percebe-se que essa negligência estatal representa uma das causas do problema.

Ademais, é importante salientar como a normalização de uma alimentação pouco nutritiva, por parte do meio social, é um agravante da questão abordada. [faltou conectivo] A filósofa judia Hannah Arendt, defende em sua teoria "banalidade do mal", que o comportamento nocivo é realizado inconscientemente quando banalizado. Da mesma maneira, a normalização de refeições deficientes nutricionalmente são é causadas pela cultura do povo brasileiro, tendo em vista, que a proteína animal é o grande foco do prato, e não os vegetais, legumes e verduras. Desse modo, é esquecida a quantidade de variedades de alimentos de origem vegetal que complementam a alimentação tão bem quanto os produtos de origem animal, que também possuem seus valores nutricionais, porém, causam múltiplos problemas de saúde se não balanceados.
* Não tenho muito o que falar dos parágrafos de desenvolvimento, creio que está na estrutura e apresenta uma boa argumentação

Portanto, entende-se, após o exposto, a real necessidade do Ministério da Educação promover aulas didáticas de nutrição e educação alimentar nas escolas, principalmente em zonas periféricas, em que os índices de alunos com famílias que entendem sobre o assunto é menor, por meio da liberação de verbas, a fim de garantir uma boa nutrição no país. Desse modo, essa importante questão pode ser solucionada.
* Faltou arrematar o tema no início da conclusão
* Acredito que a intervenção está completa
* Não sei se isso iria interferir na nota ou se relacionar com a coerência, mas o meio da ação ficou vago, porque somente verbas não iria proporcionar isso, para inserir aulas teria que mexer na grade curricular aí envolveria até projeto de lei. Creio que ficaria melhor se você colocasse por meio de palestras e projetos escolares ou algo do tipo


Espero ter ajudado! ;)
#47745
jherodrigues escreveu:@dudaramos1, claro! :D

Na fórmula de Bhaskara, em matemática, a solução da função do segundo grau depende de suas raízes, ou seja, os valores de "x". De maneira análoga, ao se analisar os desafios para a boa nutrição no Brasil, compreende-se que é necessária a análise de suas incógnitas para solucionar a problemática. Logo, semelhante à equação, os coeficientes dessa adversidade estão diretamente relacionados à negligência estatal e a normalização de uma alimentação pouco nutritiva.

Em primeira instância, cabe ressaltar como o descaso estatal corrobora com o imbróglio. Dessarte, o sociólogo Émile Durkheim, constatou após inúmeros estudos, que é dever do poder público se responsabilizar pelas diretrizes que envolvam a coletividade estabelecendo, por conseguinte, o bem-estar social. No entanto, a fala do estudioso se manteve no plano teórico, tendo em vista que não há uma disciplina voltada à educação alimentar nas instituições públicas de ensino básico. Após o exposto, fica explícito como as crianças que não possuem acesso a esse tipo de informação no ambiente familiar, crescem sem o conhecimento acima da importância de uma alimentação de qualidade, e consequentemente leva hábitos alimentares maléficos para a vida adulta, pois sabe-se que na maioria das vezes, a alimentação da fase juvenil é estendida à fase adulta. Dessa forma, percebe-se que essa negligência estatal representa uma das causas do problema.

Ademais, é importante salientar como a normalização de uma alimentação pouco nutritiva, por parte do meio social, é um agravante da questão abordada. [faltou conectivo] A filósofa judia Hannah Arendt, defende em sua teoria "banalidade do mal", que o comportamento nocivo é realizado inconscientemente quando banalizado. Da mesma maneira, a normalização de refeições deficientes nutricionalmente são é causadas pela cultura do povo brasileiro, tendo em vista, que a proteína animal é o grande foco do prato, e não os vegetais, legumes e verduras. Desse modo, é esquecida a quantidade de variedades de alimentos de origem vegetal que complementam a alimentação tão bem quanto os produtos de origem animal, que também possuem seus valores nutricionais, porém, causam múltiplos problemas de saúde se não balanceados.
* Não tenho muito o que falar dos parágrafos de desenvolvimento, creio que está na estrutura e apresenta uma boa argumentação

Portanto, entende-se, após o exposto, a real necessidade do Ministério da Educação promover aulas didáticas de nutrição e educação alimentar nas escolas, principalmente em zonas periféricas, em que os índices de alunos com famílias que entendem sobre o assunto é menor, por meio da liberação de verbas, a fim de garantir uma boa nutrição no país. Desse modo, essa importante questão pode ser solucionada.
* Faltou arrematar o tema no início da conclusão
* Acredito que a intervenção está completa
* Não sei se isso iria interferir na nota ou se relacionar com a coerência, mas o meio da ação ficou vago, porque somente verbas não iria proporcionar isso, para inserir aulas teria que mexer na grade curricular aí envolveria até projeto de lei. Creio que ficaria melhor se você colocasse por meio de palestras e projetos escolares ou algo do tipo


Espero ter ajudado! ;)
Muuito obrigada!!! Será que você poderia pontua-la? fico curiosa kkkkkk, deveria ter trabalhado melhor o modo/meio realmente.

Francis Bacon . Pode corrigir, por favor? Obriga[…]

Dados do Inep mostram que, no Brasil, há c[…]

Alguém pode corrigir para mim, por favor?

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM