Avatar do usuário
Por laralisboaws
Quantidade de postagens
#122550
Segundo o sociólogo Zymunt Bauman, “nenhuma sociedade que esquece a arte de questionar pode esperar encontrar respostas para os problemas que a afligem”. A partir desta máxima, contextualiza-se a necessidade de não negligenciar as problemáticas atreladas com a capacidade dos desafios no processo de alfabetização no Brasil, visto que, no raciocínio do autor, as questões precisam ser discutidas com objetivo de buscar soluções. Sendo assim, torna-se imprescindível analisar as causas e consequências do tema, considerando a insuficiência na qualidade educacional e a falta de fiscalização nos ambientes escolares, visando lidar com esta nefasta realidade.
Vale explicitar, como questão válida, que a falta de ensino de qualidade nas escolas brasileiras está influenciando existência do tema. Nesta ótica, relaciona-se a perspectiva do economista Keynes, dado que o governo deve construir um estado de bem-estar social, no entanto, no contexto brasileiro, nem sempre os recursos são utilizados para investir na educação, consequentemente eletrizando a mesma, onde a população mais carente tem menos acesso a uma boa educação, implicando prejuízos individuais, coletivos e sociais, como o analfabetismo. No entanto, sob este raciocínio, nota-se a falta de infraestrutura escolar, falta de materiais didáticos de qualidade e negligência governamental como fatores alarmantes para o tema, sendo educação um direito, não é um privilégio. Assim, é evidente a relação entre a insuficiência na qualidade educacional e a temática.
Além disso, é importante ressaltar que a falta de fiscalização nos ambientes escolares está relacionada com a questão. Nesse sentido, configurasse o raciocínio da filósofa Hannah Arent, uma vez que, o conceito de banalidade do mal demonstra que a repetição alienada de cenários averci Ivo os resulta na normalização dos problemas e ausência de soluções, consequentemente, o estado não fiscaliza os meios escolares como deveria, gerando assim, a perda das estatísticas de ensino e níveis da qualidade do mesmo, gerando uma taxa cada vez maior de estudantes negligenciados. Desse modo, é notório que nem sempre, o estado investiga a situação de aprendizagem, consequentemente, se tornando uma situação prejudicial. Assim, pode-se afirmar que o tema é causada pela falta de fiscalização nos ambientes escolares.
Diante disso, é imprescindível combater a conjuntura atual relacionada com a insuficiência educacional e a falta de fiscalização nos ambientes escolares. Portanto, é necessário que o governo, responsável pelo bem-estar social, promova ações como melhorias na infraestrutura escolar, melhor qualidade dos materiais educacionais e inclusão de estudantes carentes por meio do uso de verbas públicas e projetos sociais inclusivos, a fim de possibilitar uma educação de qualidade a todos, tornando-a mais acessível, interativa e inclusiva. A partir disso, será possível a redução significativa deste nefasto cenário.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Passe ilimitado
Comentários
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido

A Constituição Federal de 1988 assegura a todos os[…]

O artigo 4 da Declaração Universal dos Direitos Hu[…]

alguém poderia por favor corrigi-la? @Lauany25 @M[…]

O programa televisivo "Catalendas" con[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!