Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como: "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#40745
Segundo Zygmunt Bauman, sociólogo polonês, a falta de solidez nas relações sociais, econômicas e políticas é característica da "Modernidade Líquida", iniciada no século XX. Esse cenário, marcado pela ausência da ideia de contenção e de pensamentos a longo prazo, ainda é possível ser observado nos dias atuais, inclusive em questões que clarividenciam o caos social nas cidades. Nesse contexto, torna-se necessária a análise da dimensão da violência urbana no Brasil, intrinsicamente relacionada a fatores político-estruturais e socioeconômicos.

Em primeiro lugar, é indubitável discutir a face política da problemática. Nesse sentido, embora a Constituição Federal de 1988 assegure o direito de bem-estar social; na prática, essa garantia constitucional não é totalmente efetivada. Isso acontece porque não é investido o necessário na segurança urbana, tanto que acarreta em violências físicas e morais nos ambientes urbanos, como em praças públicas. Essa execrável realidade é comprovada nos elevados índices de estupro e assédio nos municípios brasileiros. Além disso, a falta de suporte adequado nos bairros e periferias, isto é, rede elétrica interligada e conservação do asfalto, reflete em estresse generalizado e facilita conflitos cosmopolitas. Assim, infere-se que a infraestrutura de localidade nacional fomenta o desequilíbrio em sociedade.

Em segundo lugar, vale mencionar o lado econômico perante o tema em destaque. De acordo com Locke, filósofo iluminista, todo cidadão deve ser atendido por moradia, liberdade de expressão e felicidade. Caso essas garantias contratuais não sejam seguidas, os indivíduos podem rebelar-se contra o Estado, ou seja, exigir seus direitos a qualquer custo, conforme o teórico. Ao considerar esse ideal, entende-se que o Estado não legitima seus deveres. Isso ocorre devido ao processo de urbanização no Brasil, marcado por moradias precárias, abastadas por problemas estruturais, como o acesso à água tratada. Então, o déficit econômico traduz o atual panorama conflituoso.

Portanto, é de fundamental Importância a alteração da problemática em vigência, com a adoção de novas perspectivas e mudanças. Sendo assim, cabe ao ME (Ministério da Economia) – instituição de alta relevância para o país – criar um projeto de socialização mútua, de forma coletiva e responsável, por meio da concessão de verbas às prefeituras municipais, a fim de que invista no suporte urbano e construa localidades habilitadas a socialização empática. Ademais, urge que o MEC, por intermédio de campanhas educacionais, incentive a doação de subsídios a indivíduos em vulnerabilidade econômica. Como resultado, garantir-se-á o combate à liquidez contemporânea, proposta por Bauman.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

jherodrigues , acredito que em concursos tamb&eac[…]

Millyal , a Duda fez uma ótima corre&ccedi[…]

Então ,para a introdução, i[…]

Yr6tgi8 , oi! Como a Glenda já te deu uma […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM