• Avatar do usuário
#79293
No romance "Utopia", o escritor inglês Thomas Morus descreve uma sociedade perfeita, livre de problemas ou conflitos, aonde todos vivem em igualdade. Tal obra fictícia mostra-se distante da realidade vivida no Brasil hodierno, principalmente no tocante à democratização do saneamento básico. Esse lamentável panorama ocorre não só em razão da ineficiência governamental, mas também da ausência de informações amplamente divulgadas sobre o problema. Desse modo, é fundamental uma análise dessa conjuntura para que esse quadro seja revertido.
Sob esse viés, é fulcral reconhecer que a inação estatal é uma das causas da desigualdade de acesso ao saneamento. Segundo o filósofo Karl Marx, o Governo do Estado moderno é apenas um comitê para gerir os interesses da burguesia. Essa teoria se comprova na realidade, visto que apenas os grandes centros urbanos e as áreas elitizadas estão adequadamente saneados, fazendo com que os governantes tenham uma sensação de dever cumprido, mesmo sabendo que há lugares onde o tratamento de água e esgoto também precisa chegar. Dessa forma, a população periférica e menos afortunada permanece em precárias condições de vida e suscetível a várias doenças. Urge então, que o Estado saia da inércia em que se encontra para que o óbice seja superado.
Ademais, a falta de visibilidade que a questão possui é outro agente dificultador para que o saneamento seja universalizado. De acordo com a pensadora Djamila Ribeiro, é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Pois, a partir do momento que a árdua rotina dos residentes das periferias e o fato de carecerem de higiene e salubridade dificilmente é divulgado nos veículos midiáticos, o corpo social segue desinformado e consequentemente não consegue pensar e debater formas de sanar o imbróglio. Sendo assim, é de extrema importância trazer essa problemática à luz para poder atuar sobre ela.
Portanto, para que o impasse seja solucionado é imprescindível que o Estado, a mídia e a população se mobilizem. Destarte, o Ministério da Saúde deve, por meio de investimentos, elaborar novos projetos para sanear e realizar a coleta de resíduos em áreas carentes, com a participação de uma equipe multidisciplinar, que estudará o relevo, hidrografia e modo de vida dos moradores do local, fazendo uma ação humanizada e que tenha êxito, afim de promover a igualdade e a saúde. Faz-se necessário também, que a mídia, por seu caráter abrangente, procure noticiar mazelas sociais como essa e incentive o público a refletir e a cobrar seus governantes. Dessa maneira, a sociedade brasileira poderá se igualar à retratada em "Utopia".
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

geoca PODE CORRIGIR MINHA RED PFVR?

Segundo a Constituição Federal de 19[…]

Sob a perspectiva do aclamado documentário […]

Diversas famílias no brasil sofrem o transt[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM