• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#66186
No seriado americano “Todo mundo odeia o Chris” o personagem Perigo é memorável ao público ao dar um teor cômico às medidas ilícitas adotadas por ele para lidar com a falta de acesso do povo periférico a certos bens de consumo. Fora de ficção, a realidade no Brasil é similar ao seriado quando há a inacessibilidade social aos bens de consumo, uma delas é o cinema, esse contexto se torna negativo quando explicita a necessidade de democratização do acesso no que toca a cultura. Quer pela falta de investimento na democratização, quer pelo silenciamento social acerca do tópico.
Em primeiro lugar, é notável a relação existente entre a falta de democratização dos bens de consumo e a falta de investimento público. Nessa lógica, o filme “El hoyo” original da Netflix aborda uma cadeia ficcional em que acontece as cenas fílmicas, a estrutura dessa cadeia difere das demais, pois todas as celas são separadas por níveis em camadas verticais, entretanto, o que se destaca como peça fundamental da obra é a serventia das refeições: todos os alimentos são servidos em uma plataforma que percorre as camadas sem investimento, dessa forma, os que estão nos primeiros níveis possuem mais alimento. Paralelo à obra, as variáveis consumo e investimento estão diretamente ligadas a camarotização populacional, uma vez que um bem é escasso por falta de investimento os que se beneficiam dele são aqueles que podem o acessar através do poder aquisitivo por conta dos preços altos para o sustento, tornando seu acesso excludente.
Ademais, a invisibilidade da impenetrabilidade nos meios de reprodução cultural no Brasil, causada pelo silenciamento social configuram a permanência dessa situação oriunda da falta de investimentos. Assim, é válido trazer o discurso do filósofo Jurgen Habermas, no qual ele discorre sobre a ação comunicativa: esta consiste na capacidade de uma pessoa defender seus interesses e demonstrar o que acha melhor para sociedade. Entretanto, os grupos sociais que não conseguem usufruir dos cinemas pela dimensão econômica em que essa propagação artística se encontra no Brasil estão em contrariedade ao que o discurso de Habermas propõe, de forma que não haja medidas a respeito de suas perspectivas, uma vez que as mesmas não são exploradas.
Evidentemente, é necessário medidas que possibilitem o acesso democrático ao cinema no Brasil. Portanto, urge que o governo com o Ministério da Cultura criem projetos que assegurem o contato da sociedade com as obras da cinematografia pelo menos uma vez ao ano com a finalidade de democratizar a cultura, por meio dos espaços públicos de massa em cidades onde o investimento na propagação artística é pouco, ou nada. Assim, cessaria-se o silenciamento acerca do tópico, tendo em vista que a importância de tal bem está em evidência.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 173

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 173

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 193

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 173

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#66354
No seriado americano “Todo mundo odeia o Chris” o personagem Perigo é memorável ao público ao dar um teor cômico às medidas ilícitas adotadas por ele para lidar com a falta de acesso do povo periférico a certos bens de consumo. Fora de ficção, a realidade no Brasil é similar ao seriado quando há a inacessibilidade social aos bens de consumo, uma delas é o cinema, esse contexto se torna negativo quando explicita a necessidade de democratização do acesso no que toca a cultura. [melhorar conectivo] Quer pela falta de investimento na democratização, quer pelo silenciamento social acerca do tópico.

Em primeiro lugar, é notável a relação existente entre a falta de democratização dos bens de consumo e a falta de investimento público. Nessa lógica, o filme “El hoyo”, original da Netflix, aborda uma cadeia ficcional em que acontece as cenas fílmicas, a estrutura dessa cadeia difere das demais, pois todas as celas são separadas por níveis em camadas verticais, entretanto, o que se destaca como peça fundamental da obra é a serventia das refeições: todos os alimentos são servidos em uma plataforma que percorre as camadas sem investimento, dessa forma, os que estão nos primeiros níveis possuem mais alimento. Paralelo à obra, as variáveis consumo e investimento estão diretamente ligadas a camarotização populacional, uma vez que um bem é escasso por falta de investimento os que se beneficiam dele são aqueles que podem o acessar através do poder aquisitivo por conta dos preços altos para o sustento, tornando seu acesso excludente.
* Está fazendo períodos longos, divida suas ideias ou resuma, seja mais objetivo

Ademais, a invisibilidade da impenetrabilidade nos meios de reprodução cultural no Brasil, causada pelo silenciamento social configuram a permanência dessa situação oriunda da falta de investimentos. Assim, é válido trazer o discurso do filósofo Jurgen Habermas, no qual ele discorre sobre a ação comunicativa: esta consiste na capacidade de uma pessoa defender seus interesses e demonstrar o que acha melhor para sociedade. Entretanto, os grupos sociais que não conseguem usufruir dos cinemas pela dimensão econômica em que essa propagação artística se encontra no Brasil estão em contrariedade ao que o discurso de Habermas propõe, de forma que não haja medidas a respeito de suas perspectivas, uma vez que as mesmas não são exploradas.

Evidentemente, são necessárias medidas que possibilitem o acesso democrático ao cinema no Brasil. Portanto, urge que o governo com o Ministério da Cultura < é da Cidadania agora] criem projetos que assegurem o contato da sociedade com as obras da cinematografia pelo menos uma vez ao ano com a finalidade de democratizar a cultura, por meio dos espaços públicos de massa em cidades onde o investimento na propagação artística é pouco, ou nada. Assim, cessaria-se o silenciamento acerca do tópico, tendo em vista que a importância de tal bem está em evidência.
#66382
jherodrigues escreveu: Muito, muito, muito obrigada.
Amei suas observações, irei melhorar. Só tenho uma dúvida: meus erros foram somente na c1 e c2?
Lendo a redação um tempo após escrevê-la eu considerei minha argumentação um pouco ruim.

Material para estudar: https://vestibular.brasil[…]

Alguém corrige meu texto?

vc escreve muito bem parabéns!! eu achei d[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM