• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Mylike
Quantidade de postagens
#81914
Segundo a filósofa Hannah Arendt, a essência dos Direitos Humanos é o direito a ter direitos.No entanto, não é o que acontece na temática da democratização da cultura no Brasil, já que a maioria da população não têm condições acessíveis dessa prática. Nesse sentido, observa-se um delicado problema, que tem como causas o silenciamento e a ausência de representatividade.
Dessa forma, a falta de informações é um desafio presente no tema. Sob essa lógica, a escritora Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas.Entretanto, é notório que há um comportamento silenciador na questão da acessibilidade cultural, uma vez que pouco se fala sobre o assunto nas mídias de massa, o que reverbera em pessoas desinformadas, e, assim, restringe o exercício da cidadania. Logo, urge tirar esse imbróglio da invisibilidade para atuar sobre ele.
Em paralelo, a lacuna de representação é um entrave nessa problemática. Nesse contexto, a poeta Rupi Kaur acredita que a representatividade é vital. Porém, tal pensamento não está sendo colocado em ação no que tange o acesso à cultura, visto que os brasileiros são privados de tal direito, o que gera a perca de identidade de muitos indivíduos e ocasiona na exclusão social. Assim, reverter esse ato lacunar é urgente.
Portanto, é indispensável intervir sobre a questão. Para isso, o MEC -como a maior instituição educacional brasileira-, deve promover palestras, por meio das mídias, a fim de tornar os cidadãos atuantes nessa causa. Tais palestras podem, ainda, contar com a presença de professores para debaterem a situação.Pararelamente, é preciso intervir sobre a passiva representatividade em nosso país. Desta maneira, o Brasil poderá colocar em prática a essência dos Direitos Humanos, como defendeu Hannah Arendt.

O impossível é somente um limite estabelecido pelas nossas próprias mentes! :)
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 190

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 190

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 190

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 190

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

0
Avatar do usuário
Por Jotaveh
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#82143
Segundo a filósofa Hannah Arendt, a essência dos Direitos Humanos é o direito a ter direitos.No entanto, não é o que acontece na temática da democratização da cultura no Brasil, já que a maioria da população não têm [população é singular, população não tem] condições acessíveis dessa prática. Nesse sentido, observa-se um delicado problema, que tem como causas o silenciamento e a ausência de representatividade.
seria mais fácil dizer: a maioria da população não tem condições de acesso a essa prática


Dessa forma, a falta de informações é um desafio presente no tema. Sob essa lógica, a escritora Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas.Entretanto, é notório que há um comportamento silenciador na questão da acessibilidade cultural, uma vez que pouco se fala sobre o assunto nas mídias de massa, o que reverbera em pessoas desinformadas, e, assim, restringe o exercício da cidadania. Logo, urge tirar esse imbróglio da invisibilidade para atuar sobre ele.
perfeito.

Em paralelo, a lacuna de representação é um entrave nessa problemática. Nesse contexto, a poeta Rupi Kaur acredita que a representatividade é vital. Porém, tal pensamento não está sendo colocado em ação no que tange o acesso à cultura, visto que os brasileiros são privados de tal direito, o que gera a perca de identidade de muitos indivíduos e ocasiona na exclusão social. Assim, reverter esse ato lacunar é urgente.
perfeito.

Portanto, é indispensável intervir sobre a questão. Para isso, o MEC (o que significa MEC?) -como a maior instituição educacional brasileira-, deve promover palestras, por meio das mídias, a fim de tornar os cidadãos atuantes nessa causa. Tais palestras podem, ainda, contar com a presença de professores para debaterem a situação.Pararelamente, é preciso intervir sobre a passiva representatividade em nosso país. Desta maneira, o Brasil poderá colocar em prática a essência dos Direitos Humanos, como defendeu Hannah Arendt.

primeira solução com 5 elementos.
0
Avatar do usuário
Por Mylike
Quantidade de postagens
#82162
Jotaveh escreveu:Segundo a filósofa Hannah Arendt, a essência dos Direitos Humanos é o direito a ter direitos.No entanto, não é o que acontece na temática da democratização da cultura no Brasil, já que a maioria da população não têm [população é singular, população não tem] condições acessíveis dessa prática. Nesse sentido, observa-se um delicado problema, que tem como causas o silenciamento e a ausência de representatividade.
seria mais fácil dizer: a maioria da população não tem condições de acesso a essa prática


Dessa forma, a falta de informações é um desafio presente no tema. Sob essa lógica, a escritora Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas.Entretanto, é notório que há um comportamento silenciador na questão da acessibilidade cultural, uma vez que pouco se fala sobre o assunto nas mídias de massa, o que reverbera em pessoas desinformadas, e, assim, restringe o exercício da cidadania. Logo, urge tirar esse imbróglio da invisibilidade para atuar sobre ele.
perfeito.

Em paralelo, a lacuna de representação é um entrave nessa problemática. Nesse contexto, a poeta Rupi Kaur acredita que a representatividade é vital. Porém, tal pensamento não está sendo colocado em ação no que tange o acesso à cultura, visto que os brasileiros são privados de tal direito, o que gera a perca de identidade de muitos indivíduos e ocasiona na exclusão social. Assim, reverter esse ato lacunar é urgente.
perfeito.

Portanto, é indispensável intervir sobre a questão. Para isso, o MEC (o que significa MEC?) -como a maior instituição educacional brasileira-, deve promover palestras, por meio das mídias, a fim de tornar os cidadãos atuantes nessa causa. Tais palestras podem, ainda, contar com a presença de professores para debaterem a situação.Pararelamente, é preciso intervir sobre a passiva representatividade em nosso país. Desta maneira, o Brasil poderá colocar em prática a essência dos Direitos Humanos, como defendeu Hannah Arendt.


primeira solução com 5 elementos.
Muito obrigado Jotaveh, você me ajudou muito a melhorar a minha escrita, não sei nem como te agradecer por tudo isso, boa sorte no domingo! :)

O impossível é somente um limite estabelecido pelas nossas próprias mentes! :)
0

A Constituição Federal de 1988, docu[…]

O filme Lorax, veinculado na planaforma da Netflix[…]

A revolução Industrial ocorrida na I[…]

Mylike , Olá, boa noite. Olá nov[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM