Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#60677
Por certo, é necessário o uso de recursos de censura para crianças, as doses variando pela faixa etária, pois nas redes sociais existe uma quantidade infinita de informações que podem ser precoces, um exemplo seria em caso de propagandas pornográficas em sites facilmente acessíveis. Ademais, tudo em excesso é prejudicial, sem a supervisão do responsáveis sobre conteúdo disponível as crianças, elas podem acabar por ter uma perda da sua inocência prematuramente, porém, a proteção exagerada também ocorre por ser prejudicial, levando a um alto nível de ingenuidade.
Aliás, o perigo cibernético é um dos mais comentados atualmente quando falam de crianças, especialmente em um cenário no qual ela passou mais tempo dentro do que fora de casa, retratando-se a pandemia. Devido esse receio os pais podem acabar por cruzaram uma linha, como foi mostrado na séria de ficção Black Mirror num episódio que a mãe usava um "chip" para controlar o que sua filha conseguiria ver, censurado o que ela chassi inadequado ou perigoso, porém esse excesso de proteção acabou sendo prejudicial à criança, que mais tarde ao tirar o programa se chocou com o mundo.
Certamente, a frase "A internet é terra de ninguém" faz inúmeros pais pensarem duas vezes antes de darem a seus filhos um dispositivo de "smartphone", justamente por medo de quem habita lá, o mundo cibernético, chamando atenção para pedófilos e hackers, que podem facilmente enganar a criança para conseguir informações sobre elas e de onde vivem.
Dito isso, o Concelho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA) deve incentivar os pais, através de campanha de palestras, a educarem seu filhos para a vida tecnológica. Isto é, ensinar-lhes que não devem conversar com pessoas desconhecidas, e sempre estar a par do que seu filho está vendo, de forma consciente, promovendo a todo momento a comunicação e confiança parental, e não a invasão de privacidade, deste modo estimulando relacionamentos saudáveis e não abusivos.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A constituição federal de 1988, docu[…]

Violência doméstica

Agressão a Maria da Penha Vemos que atualm[…]

Obesidade no Brasil

Segundo dados do IBGE, em 2019 um quarto da popula[…]

Medo provocado por pandemia

*Medo causado pela pandemia* Diante de um cas[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM