Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#50972
Entre o final do século XX e o início do século XXI, era cotidiano ver animações e séries familiares apresentando personagens fazendo uso do tabaco: Pica-Pau, Tom e Jerry e Chaves são exemplos de programas, livres para todos os públicos, que fizeram parte da infância e juventude de milhões de brasileiros, um povo marcado pelas campanhas nacionais de combate ao fumo. No entanto, mesmo que presentes logo nas embalagens do cigarro, alertando os perigos do uso deste, o Brasil ainda enfrenta um grande número de pessoas que consomem tal produto prejudicial e cancerígeno.
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, cerca de 10% da população brasileira é usuária de cigarro. O produto é altamente prejudicial à saúde dos pulmões e outros órgãos do corpo, causando também diversos tipos de câncer, doenças crônicas, e propiciando fatores de risco para outras doenças, como doenças respiratórias. Mesmo assim, o cigarro está se tornando cada vez mais popular entre os brasileiros, incluindo adolescentes e jovens adultos, o que aumenta também o número de vítimas nacionais do tabagismo.
De acordo com o Ministério da Saúde, em 2017, a taxa de fumantes entre 18 e 24 anos era de 8,5%, demonstrando alta comparado ao ano anterior. Esta alta pode se dar à popularização de cigarros eletrônicos e narguilés, à venda em tabacarias no país. Geralmente de manuseio doméstico, é polêmica a discussão que esses produtos de fumo, tabagistas ou não, tenham sido popularizados por mídias de entretenimento, como filmes, jogos, memes, e séries em streaming. Independente da natureza do objeto propagador, é inegável a negligência por parte público do fumante perante os mais variados problemas de saúde que o fumo pode causar.
Tem-se consciência, porém, que as mídias atuais passam por uma diversificação imensa. Assim, não só podem existir formas de propagar, mesmo que indiretamente, o uso de tabaco, mas há também como combater o uso desse produto com marketing e publicidade. Um exemplo é a popularização de memes com a mascote do Proerd nas redes sociais, difundido por usuários que apoiam campanhas antitabagismo. Portanto, com parcerias entre o Ministério da Saúde e figuras populares, como atores, influenciadores e artistas, o combate ao uso de tabaco pode ser acessível a todas as faixas etárias, e seguir com o objetivo de minar o número de fumantes no país.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A realidade de muitos jovens brasileiros nos dias […]

Ao contrário do que se reverbera na Constit[…]

De modo ficcional, o filme "O Espetacular Hom[…]

Em termos tecnológicos, durante a atual pan[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM