Página 1 de 1

Caminhos para combater o racismo no Brasil

Enviado: 03 Mai 2022, 16:16
por ennalu
Maria Firmina dos Reis uma escritora do século XIX, uma mulher negra, filha de ex-escravos, primeira romancista e escritora da literatura Afro no Brasil, enfrentou dificuldades ao publicar suas obras sendo ocultada por muitos anos, por expressar sentimentos abolicionistas em pleno período da escravidão e em meio a elite privilegiada que se dizia defender a escravidão e a moral. No entanto, o que podemos observar que na realidade contemporânea é exatamente o que acontece, visto que o racismo ainda apresenta barreiras que dificultam a sua extinção. Esse cenário antagônico é fruto tanto do silenciamento quanto de ideias patriarcais. Desse modo, é fundamental a discussão desses aspectos afim do pleno funcionamento da sociedade.
Precipuamente, é fulcral pontuar que a omissão de questões raciais derivam da baixa atuação dos setores governamentais, no que concerne a criação de mecanismos que busquem combater o racismo. Segundo o filosofo Tomas Hobbes o estado é responsável pelo bem-estar da população, entretanto o que ocorre no Brasil é o oposto, pois o Estado trata tais preconceitos como uma questão pessoal dos indivíduos, então não acaba interferindo, contribuindo portanto para a perpetuação do mal-estar da população.
Ademais, é imperativo ressaltar o sentimento arcaico que as pessoas trazem sobre a escravidão, como outro promotor do problema. De acordo Nelson Mandela "Ninguém nasce odiando outra pessoa por sua cor da pele, sua origem ou sua religião. As pessoas aprendem a odiar e, se podem aprender a odiar, pode-se ensiná-las a aprender a amar." Partindo desse pressuposto, vemos que ideias racistas são plantadas a cada geração, por pessoa que acreditam ser superiores por questões do passado, retardando a resolução dessa situação caótica.
Assim, medidas exequíveis são necessárias serem tomadas, para conter o avanço da problemática. Destarte, como intuito de mitigar o racismo, necessita-se que o Tribunal de Contas da União (TCU) por meio do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), será revestido em campanhas para promover a igualdade racial e reforçar que a prática do racismo constitui crime imprescritível segundo a Constituição Federal (CC) de 1988. Dessa forma atenua-se-á em médio e longo prazo os impactos nocivos do problema, e a sociedade alcançará o bem-estar a que se refere Hobbes.