• Avatar do usuário
#66480
Na sociedade contemporânea os caminhos para combater a violência sexual infantil no Brasil ainda são um dos grandes fatores a ser discutido. Necessita-se entender que há uma diferença de pedofilia (é um distúrbio que se caracteriza pela preferência ou obsessão por práticas socialmente não aceitas) e abuso sexual (forma de violência que acontece dentro ou fora do ambiente doméstico, marcado pela relação desigual de poder, visto como objetos que dão prazer e alívio). Diante dessa situação, torna-se essencial discutir sobre duas vertentes: a falta de educação sexual, e o outro fator a exploração sexual pueril.
De início, tem-se noção de que a educação sexual no Brasil ainda é um grande tabu ("proibição" da prática de qualquer atividade social, que seja moral, religiosa ou culturalmente reprovável). Essa didática sexual é importante para as crianças e adolescentes reconhecerem a violência voluptuosa, além de ajudar a enfrentar o machismo, visto que a maioria são mulheres abusadas. O grande problema é o conservadorismo em encarar os fatos como muito além de relações em si, todos os dias, como consequência desse descuido inúmeras crianças morrem. Nesse viés, o filósofo Rans Jonas traz o "Princípio Estético de Responsabilidade Futura" visando que o ser humano não pensa que esses atos pode causar consequências no futuro.
Sob outro prisma, é válido analisar a exploração sexual (mercantilização no qual o sexo é um produto de uma troca) é uma grande pauta, devido estar ligado a fatores socioeconômicos dessas vítimas. Vale postular que a sobrevivência é prioridade em situação de extrema pobreza, e famílias menos favorecidas com a menor condição de orientar seus filhos a trabalharem fora, possibilitando ao caminho da prostituição infantil, com consequências físicas e psicológicas, gerando uma dificuldade para adaptação social. Essa situação pode ser comprovada pela concepção do sociólogo Marx, o qual afirma que a classe proletariada tem como primazia sobreviver.
Em síntese, medidas devem ser efetuadas a fim de mitigar a violência sexual no Brasil. Desse modo cabe ao Ministério da Educação (MEC) que possui finalidade de executar políticas públicas de educação e também fiscalizar a qualidade do ensino do país, implantar a promoção de educação sexual nas escolas, por meio de palestras, coordenadas por sexólogos e psicólogos. Ademais, o Governo deve propiciar famílias desamparadas com auxílio financeiro regular, com o objetivo de de promover o em estar das crianças e subtraindo os casos de exploração sexual, Afinal, segundo Platão defendia, o importante não é apenas viver, mas viver bem.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Doação do coração

A série médica americana "Grey'[…]

Carinho sanguíneo

A série médica americana "Grey'[…]

Índio no Brasil

Hoje,na sociedade brasileira, as políticas […]

Emily Silva muito obrigada😃! Quando disse que […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM