Avatar do usuário
Por bibielle
Quantidade de postagens
#121147
Na obra "Utopia", de Thomas More, é descrita uma sociedade perfeita, na qual o corpo social se padroniza pela ausência de conflitos e problemas. Entretanto, no cenário atual nacional, é perceptível que a existência de caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil é uma tarefa árdua. Em decorrência disso, a violência religiosa e a discriminação calham a serem discutidos para a resolução desse problema.

Em primeira análise, a violência é consequência da intolerância religiosa. Dessa forma, é evidente que, ao perceber algo diferente, o ser humano tem como método de defesa a agressão de primeira ideia, formando assim um ciclo vicioso de violência ao se deparar com algo novo. Um exemplo dessas agressões é Mãe Gilda Iyalorixá, que foi vítima de intolerância religiosa em 1999, quando teve seu templo invadido, depredado e o seu marido agredido por fundamentalistas religiosos, e em sua homenagem foi-se criada a lei do combate à intolerância religiosa. Ademais, é importante ressaltar que a agressão religiosa, muitas das vezes não se tem apenas por meio de agressão física, mas também psicológica e verbal, mas lamentavelmente, acontece com frequência a religiões fora das matrizes cristãs, principalmente. Portanto, é importante ressaltar que essa violência fere diretamente aos direitos humanos, e infelizmente, ainda é uma realidade presente no nosso cotidiano e, que Mãe Gilda Iyalorixá foi uma das inúmeras vítimas desta crueldade.

Em segundo lugar, a discriminação religiosa é um fator importante na resolução ao combate a intolerância religiosa. A discriminação pode afetar o bem-estar emocional e psicológico das vítimas, gerando sentimentos de ansiedade, medo, isolamento e baixa autoestima, além disso, pode dificultar o acesso a oportunidades educacionais, empregos e serviços públicos, prejudicando o pleno exercício da cidadania. Segundo a constituição de 1988, art. 5 é de garantia a liberdade de crença e culto a todos os brasileiros, é também nesse artigo em que a carta prevê que os locais de cultos (igrejas e templos diversos) devem ser protegidos por força de lei. É evidente, que mesmo com a Constituiçãode 1988 garantindo a liberdade, ainda é possível identificar situações de discriminação religiosa em diferentes níveis da sociedade brasileira, tais manifestações de preconceito podem se apresentar de diversas formas, como piadas ofensivas, estereótipos negativos, exclusão social, vandalismo a templos religiosos, entre outros atos hostis.

Em conclusão, a discriminação e a violência religiosa são problemas sérios que requerem ações concretas por parte da sociedade e do Estado. Portanto, faz se imprescindível que tais problemas continuem. Desse modo cabe ao poder legislativo, poder o responsável por produzir as leis que irão orientar nossa sociedade com o objetivo de regular a vida em comum. Sendo assim a principal iniciativa a ser tomada pelo poder legislativo é a criação de leis específicas que tipifiquem e combatam a intolerância religiosa em todas as suas manifestações. Essas leis devem assegurar o direito das pessoas praticarem sua fé sem sofrer discriminação ou violência, bem como estabelecer penas proporcionais e rigorosas para os infratores. Além disso, é importante que a legislação preveja mecanismos de proteção às vítimas e facilite o acesso à justiça, garantindo uma resposta eficiente do sistema jurídico diante dos casos de intolerância religiosa. Somente assim poderá ser concretizada a Utopia que Thomas More idealizou.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Passe ilimitado
Comentários
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido

O artigo 4 da Declaração Universal dos Direitos Hu[…]

alguém poderia por favor corrigi-la? @Lauany25 @M[…]

O programa televisivo "Catalendas" con[…]

Os celulares são uma tecnologia que está muito ada[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!