Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#48586
De acordo com o artigo 5º da Constituição Federal Brasileira de 1988, todo cidadão brasileiro possui o direito de comunicação assegurado. No entanto, tal prerrogativa não tem se reverberado com ênfase, na prática, quando se observa a dificuldade na inclusão digital no Brasil, obstando, deste modo, a universalização desse direito. Diante dessa perspectiva, faz-se impreterível a análise dos fatores que proporciona esse quadro.

Em uma primeira análise, ressalta-se a exiguidade de diligências governamentais para combater a expansão do acesso ao meio digital para todos os cidadãos. Nesse sentido, os recursos digitais que, no mundo atual, proporcionam além da facilidade de comunicação, contato com distintas ideologias e proximidade com áreas de conhecimentos que fogem das esferas de aprendizagem e informações corriqueiras, se torna indeferido para aqueles que, historicamente, foram marginalizados ou não possuíram as mesmas condições de acesso à bens materiais e tecnológicos. Esse cenário, segundo as ideias do filósofo contratualista John Locke, exprime-se como uma violação do “Contrato Social”, já que o Estado não cumpre com o seu papel de garantir que todos os cidadãos desfrutem de garantias substanciais, como o direito à igualdade, o que é notório no país.

Ademais, a garantia do direito citado anteriormente, previsto na Constituição, que concede o direito a comunicação para todos não é, de fato, desenvolvido no país. De acordo com o escritor Gilberto Dimenstein, na obra “O Cidadão de Papel”, nem sempre as leis presentes nos documentos oficiais nacionais são cumpridas, desencadeando uma realidade em que os indivíduos são reconhecidos e amparados pelo Estado apenas no papel. Esse cenário é presente no Brasil, pois, uma grande parcela da população, sobretudo a mais pobre, são desprovidos de direitos básicos como saneamento básico, educação, energia elétrica e, por resultância, também não possuem recursos tecnológicos. Dessa maneira, apenas parte dos cidadãos estão inclusos no meio digital, ocasionando uma centralização de informação.

Entende-se, portanto, a necessidade de se combater esses obstáculos. Para isso, é imprescindível que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, por intermédio de redirecionamento de recursos, amplie e crie programas de inclusão digital, oferecendo cursos de aprendizagens computacionais básicas, sobretudo em escolas e centros urbanos menos favorecidos, a fim de democratizar o acesso à informação e bens eletrônicos. Assim, com a efetiva inclusão digital, a garantia do artigo 5º será efetivada no país.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#48596
Irei corrigir está redação, espero ajudá-l0 de alguma forma

Comentários
Erros
Correção

De acordo com o artigo 5º da Constituição Federal Brasileira de 1988, todo cidadão brasileiro possui o direito de comunicação assegurado. No entanto, tal prerrogativa não tem se reverberado com ênfase, na prática, quando se observa a dificuldade na inclusão digital no Brasil, obstando, deste modo, a universalização desse direito. Diante dessa perspectiva, faz-se impreterível a análise dos fatores que proporciona esse quadro. Boa introdução, só faltou deixar claro a tese que será defendida

Em uma primeira análise, ressalta-se a exiguidade de diligências governamentais para combater a expansão do acesso ao meio digital para todos os cidadãos. Nesse sentido, os recursos digitais que, no mundo atual, proporcionam além da facilidade de comunicação, contato com distintas ideologias e proximidade com áreas de conhecimentos que fogem das esferas de aprendizagem e informações corriqueiras, se torna indeferido para aqueles que, historicamente, foram marginalizados ou não possuíram as mesmas condições de acesso à bens materiais e tecnológicos. Esse cenário, segundo as ideias do filósofo contratualista John Locke Não há nenhum erro aqui, mas pessoalmente, acredito que utilizar o Hobbes aqui faça mais sentido, visto que para Locke, o estado deve ser apenas um "resolvedor" de conflitos, não um provedor de bem-estar., exprime-se como uma violação do “Contrato Social”, já que o Estado não cumpre com o seu papel de garantir que todos os cidadãos desfrutem de garantias substanciais, como o direito à igualdade, o que é notório no país. Argumentação pertinente, defende a tese e demonstra um repertório condizente.

Ademais, a garantia do direito citado anteriormente, previsto na Constituição, que concede o direito a comunicação para todos não é, de fato, desenvolvido no país. De acordo com o escritor Gilberto Dimenstein, na obra “O Cidadão de Papel”, nem sempre as leis presentes nos documentos oficiais nacionais são cumpridas, desencadeando uma realidade em que os indivíduos são reconhecidos e amparados pelo Estado apenas no papel. Esse cenário é presente no Brasil, pois, uma grande parcela da população, sobretudo a mais pobre, são desprovidos Erro de concordância com a palavra "população", que é singular. de direitos básicos como saneamento básico Não tenho certeza se isso de fato é um erro, mas me soou um pouco estranho à repetição dessas palavras sublinhadas, educação, energia elétrica e, por resultância, também não possuem recursos tecnológicos. Dessa maneira, apenas parte dos cidadãos estão inclusos no meio digital, ocasionando uma centralização de informação. Boa argumentação, assim como a primeira

Entende-se, portanto, a necessidade de se combater esses obstáculos. Para isso, é imprescindível que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, por intermédio de redirecionamento de recursos, amplie e crie programas de inclusão digital, oferecendo cursos de aprendizagens computacionais básicas, sobretudo em escolas e centros urbanos menos favorecidos, a fim de democratizar o acesso à informação e bens eletrônicos. Assim, com a efetiva inclusão digital, a garantia do artigo 5º será efetivada no país. Ótima conclusão, identifiquei o agente, o meio, a ação, o detalhamento e a finalidade.

A redação está muito boa, não há muito a comentar aqui

Promulgada pela ONU em 1948, a Declaraç&ati[…]

wagner123 , hehe, entendo Wagner, muito obgdaaa![…]

O impacto da inteligência artificial no merc[…]

Um assunto muito recorrente em nosso dia-a-dia &ea[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM