• Avatar do usuário
#54683
Ao longo de toda a história da humanidade as relações sociais sofreram variadas transformações. No mundo contemporâneo, com o engrandecimento da importância das relações, ao optar voluntariamente por uma vida distante de toda agitação social, indivíduos são colocados em situações que sua decisão passa a ser constantemente questionada, principalmente, de forma negativa. Desse modo, o corpo social contribui para a perpetuação de estigmas que ressaltam, apenas, as desvantagens de viver só, ignorando seu lado positivo.

É notório que, ao optar por uma rotina que não necessita da companhia de outra pessoa, uma das maiores dificuldades encontrada pelo indivíduo é a necessidade de lidar com frequentes questionamentos e falsas suposições vindo de outros. No contexto atual, prega-se uma padronização das relações humanas e o pensamento de que a felicidade só será verdadeiramente encontrada com alguém ao seu lado. Tal paradigma, influência e reforça a criação de relações superficiais, colocando como anômico aquele que decidiu viver sozinho.

Por outro lado, a solidão voluntária abrange demasiados aspectos positivos sobre a vida do cidadão contemporâneo. É perceptível que a escolha de viver consigo mesmo proporciona um maior autoconhecimento, que pode contribuir na desvinculação de padrões comportamentais constantemente reproduzidos, que, corriqueiramente, é posto como algo natural do indivíduo. Evidencia-se, portanto, o papel positivo da solitude optativa na identificação de valores individuais, o que contribui, em sua maioria, para uma evolução pessoal e maior independência emocional.

As vantagens de viver sozinho são inúmeras, mas, como qualquer outra ação social, terá seus pontos negativos e críticas na sociedade. Contudo, as relações sociais tendem a mudar constantemente e o que nota-se é que, com os vínculos cada vez mais líquidos e superficiais, a solidão voluntária se torna cada vez mais comum, contribuindo, assim, com a desmistificação negativa em torno do ser só.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#54911
Ao longo de toda a história da humanidade as relações sociais sofreram variadas transformações. [faltou conectivo] No mundo contemporâneo, com o engrandecimento da importância das relações, ao optar voluntariamente por uma vida distante de toda agitação social, indivíduos são colocados em situações que sua decisão passa a ser constantemente questionada, principalmente, de forma negativa. Desse modo, o corpo social contribui para a perpetuação de estigmas que ressaltam, apenas, as desvantagens de viver só, ignorando seu lado positivo.

É notório que, ao optar por uma rotina que não necessita da companhia de outra pessoa, uma das maiores dificuldades encontrada pelo indivíduo é a necessidade de lidar com frequentes questionamentos e falsas suposições vindo de outros. No contexto atual, prega-se uma padronização das relações humanas e o pensamento de que a felicidade só será verdadeiramente encontrada com alguém ao seu lado. Tal paradigma, influência e reforça a criação de relações superficiais, colocando como anômico aquele que decidiu viver sozinho.
* fuja do senso comum, tente comprovar seus argumentos com dados ou citação

Por outro lado, a solidão voluntária abrange demasiados aspectos positivos sobre a vida do cidadão contemporâneo. [faltou conectivo] É perceptível que a escolha de viver consigo mesmo proporciona um maior autoconhecimento, que pode contribuir na desvinculação de padrões comportamentais constantemente reproduzidos, que, corriqueiramente, é posto como algo natural do indivíduo. Evidencia-se, portanto, o papel positivo da solitude optativa na identificação de valores individuais, o que contribui, em sua maioria, para uma evolução pessoal e maior independência emocional.
* Cuidado com o excesso de vírgula
* Mesma dica do § anterior, procure comprovar o que você está argumentando


[faltou conectivo conclusivo] As vantagens de viver sozinho são inúmeras, mas, como qualquer outra ação social, terá seus pontos negativos e críticas na sociedade. Contudo, as relações sociais tendem a mudar constantemente e o que se nota é que, com os vínculos cada vez mais líquidos e superficiais, a solidão voluntária se torna cada vez mais comum, contribuindo, assim, com a desmistificação negativa em torno do ser só.
* Ficou um parágrafo de desenvolvimento, deveria arrematar o tema e propor uma possível solução

Espero ter ajudado! :D

Aqui está a minha análise da sua r[…]

Ficou espetacular! :) Muito obrigado!!

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM