Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#59712
Segundo o artigo 3° da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, é um objetivo fundamental promover o bem de todos, sem qualquer discriminação. Entretanto, a aversão ou preconceito envolvendo as características de pessoas gordas é uma realidade vivenciada por elas, persistindo em razão do padrão estético e da assimilação de seus corpos com o não saudável, valendo ser necessária a adoção de métodos para intervir na questão.
Diante desse cenário é válido destacar que os parâmetros atuais de beleza, tanto para homens quanto para mulheres, estimulam as práticas de gordofobia. De acordo com a Skol Diálogos, 89% da população já falou ou ouvir dizer que não há beleza em quem possui tal condição física. A partir disso revela-se um comportamento social que dificulta a aceitação própria do grupo, além de causar frustação. Logo, as atitudes coletivas evidenciam uma exclusão e segregação pautada na estética.
Ademais, o aspecto físico é relacionado com estar doente e como uma consequência de seus hábitos, seja por má alimentação ou sedentarismo. Isso pode ser visto em meios de comunicação, na qual informações sobre saúde e atividade física são apresentadas por pessoas consideradas magras e, quando há gordos, são para demonstrar superação. Desse modo, evidencia-se a imagem errônea atribuída a quem sofre de gordofobia sendo intensificada pelos meios midiáticos.
Portanto, a partir do exposto, nota-se a necessidade de enfrentar a problemática. Para isso, é preciso que o Ministério da Educação em conjunto com as secretarias de comunicação, por meio de verbas públicas, formulem propagandas publicitárias em redes sociais e televisivas em que seja discutida a gordofobia e a saúde, por pessoas gordas, com a finalidade de conceder local de fala e demonstrar à população que também possuem propriedade sobre assuntos como nutrição e educação física. Dessa forma, o preconceito poderá ser mitigado e a Constituição estará assegurando o objetivo de promover o bem.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Saúde mental na pandemia

A saúde mental já era uma quest&atil[…]

Naathy , olá, bom-dia! posso sim corrigir […]

@3m1ly boa tarde, poderia me ajudar fazendo a cor[…]

A violência contra a mulher é todo at[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM