• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#64805
@eurodrigo

Consoante ao filósofo Sócrates, o homem, para sua completude, deve estudar, trabalhar e lutar. No entanto, tal prerrogativa não se reverbera atualmente quando se observa a inserção do jovem no mercado de trabalho brasileiro, que, cada vez mais exigente, torna gradativamente dificultosa a aparição de oportunidades palpáveis a essa parcela da sociedade. Nesse contexto, as dificuldades as quais tal grupo enfrenta denotam a inadequação entre a formação acadêmica e a exigência do mercado, bem como a preferência a candidatos mais experientes por parte das empresas.
Em primeira análise, cumpre ressaltar que o itinerário formativo nas universidades brasileiras, por vezes, não prepara o estudante para de fato exercer as funções de sua área no mercado trabalhista pretendido. Isso se reforça a partir do fato de que cursos como Economia e Informática não possuem estágios curriculares obrigatórios, não oferecendo, assim, modelos práticos provenientes das teorias estudadas. Tal questão vai de encontro ao que afirma Gilberto Freyre, grande sociólogo do século XX, cuja teoria enfatiza a futilização do conhecimento quando para ele não há fim social. Sob essa conjuntura, a ausência, ou exiguidade, do exercício prático no ambiente acadêmico corrobora a sensação de insegurança na qual jovens, que não se sentem aptos a exercer o ofício almejado, estão inseridos e, portanto, é prejudicial.

Ademais, as empresas nacionais, na busca por maior produtividade, comumente dão preferência a candidatos com mais experiência na área, sendo esses, por conseguinte, mais velhos. Assim, cria-se um paradoxo social, onde jovens precisam ganhar experiência para obter um emprego, mas, visando a esta, necessitam daquele. Logo, tal situação conflitante aparenta ser contumaz, a medida que o homem, segundo o filósofo John Locke, é como uma tábula rasa, ou folha em branco, e requer a sapiência sensorial para construir o arcabouço intelectual do indivíduo.

Depreende-se, portanto, que a inserção da juventude no ramo trabalhista competitivo do Brasil é uma questão que precisa continuar sendo posta em pauta, visto que ainda há entraves a serem superados. Nesse sentido, primeiramente, faz-se necessária a mudança de postura das universidades no que se refere à oferta de estágios formativos em todos os cursos constituintes de sua grade curricular, a fim de coibir a insegurança juvenil com relação a sua capacitação profissional. Além disso, o Governo Federal pode ampliar a inserção desse grupo no campo trabalhista, por meio do incentivo à oferta de cursos de formações pelas próprias empresas antes do exercício do cargo, através da redução de impostos de tais instituições, eliminando, assim, o paradoxo social no que concerne à obtenção de experiência. Espera-se, com isso, garantir maior inclusão juvenil para que o homem consiga alcançar seu estado de plenitude, como afirmava Sócrates.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#66368
@Chrystine, oi!

Introdução
Consoante ao filósofo Sócrates, o homem, para sua completude, deve estudar, trabalhar e lutar. No entanto, tal prerrogativa não se reverbera atualmente quando se observa a inserção do jovem no mercado de trabalho brasileiro, que, cada vez mais exigente, torna gradativamente dificultosa a aparição de oportunidades palpáveis a essa parcela da sociedade. Nesse contexto, as dificuldades as quais tal grupo enfrenta denotam a inadequação entre a formação acadêmica e a exigência do mercado, bem como a preferência a candidatos mais experientes por parte das empresas.
Boa introdução. Possui toda a parte essencial: repertório, problematização e tese. A meu ver seu repertório nesse parágrafo é produtivo, pois teve relação com o que problematizou e me convenceu. Como já li o texto antes de escrever aqui, também percebi que você conseguiu compreender o tema e segue a estrutura correta e o gênero correto.

Desenvolvimento 1
Em primeira análise, cumpre ressaltar que o itinerário formativo nas universidades brasileiras, por vezes, não prepara o estudante para de fato exercer as funções de sua área no mercado trabalhista pretendido. Isso se reforça a partir do fato de que cursos como Economia e Informática não possuem estágios curriculares obrigatórios, não oferecendo, assim, modelos práticos provenientes das teorias estudadas. Tal questão vai de encontro ao que afirma Gilberto Freyre, grande sociólogo do século XX, cuja teoria enfatiza a futilização do conhecimento quando para ele não há fim social. Sob essa conjuntura, a ausência, ou exiguidade, do exercício prático no ambiente acadêmico corrobora a sensação de insegurança na qual jovens, que não se sentem aptos a exercer o ofício almejado, estão inseridos e, portanto, é prejudicial.
Deixe o tópico frasal mais breve e dê preferência a iniciar a argumentação após o repertório, pois assim haverá uma melhor organização. Além disso, faça a arrematação final do parágrafo.

Desenvolvimento 2
Ademais, as empresas nacionais, na busca por maior produtividade, comumente dão preferência a candidatos com mais experiência na área, sendo esses, por conseguinte, mais velhos. Assim, cria-se um paradoxo social, onde jovens precisam ganhar experiência para obter um emprego, mas, visando a esta, necessitam daquele. Logo, tal situação conflitante aparenta ser contumaz, a medida que o homem, segundo o filósofo John Locke, é como uma tábula rasa, ou folha em branco, e requer a sapiência sensorial para construir o arcabouço intelectual do indivíduo.
Aqui também faça o tópico mais breve, aconselho também a não inserir o repertório ao fim, mas sim após o tópico frasal. De resto, bons parágrafos de desenvolvimento, bem argumentativos!

Conclusão
Depreende-se, portanto, que a inserção da juventude no ramo trabalhista competitivo do Brasil é uma questão que precisa continuar sendo posta em pauta, visto que ainda há entraves a serem superados (Esse período também pode ser mais breve). Nesse sentido, primeiramente, faz-se necessária a mudança de postura das universidades (ação) no que se refere à oferta de estágios formativos em todos os cursos constituintes de sua grade curricular (detalhamento), a fim de coibir a insegurança juvenil com relação a sua capacitação profissional (efeito). Além disso, o Governo Federal (agente) pode ampliar a inserção desse grupo no campo trabalhista (ação), por meio do incentivo à oferta de cursos de formações pelas próprias empresas antes do exercício do cargo, através da redução de impostos de tais instituições (meio + detalhamento), eliminando, assim, o paradoxo social no que concerne à obtenção de experiência (efeito). Espera-se, com isso, garantir maior inclusão juvenil para que o homem consiga alcançar seu estado de plenitude, como afirmava Sócrates.
Segunda proposta completa. 200 na C5!

Seu texto é muito bom, mas acredito que ele seria prejudicado na C1 por possíveis desvios considerados poucos - não me aprofundo nessa questão, pois preciso de mais estudo. Já em relação à C2 tudo ok; na C3 ok; porém, na C4 observei repetições de operadores argumentativos, conectivos como o "assim" e "portanto", logo, possivelmente prejudicada. Por fim, na C5 tudo ok. Bons estudos :)
#66435
Ciência na modernidade
A ciência no mundo atual sem dúvidas trouxe diversos benefícios a sociedade quanto na saúde quanto na economia e até mesmo na educação de crianças e adolescentes.
Temos como exemplo. dentro de nossas próprias casas:tomadas,lâmpadas,geladeiras,tudo que a inteligência do homem nós possibilitou dentre um longo período de evolução.
Nas indústrias maquinários estão tendo um papel fundamental para o crescimento da empresa,tomando assim o lugar de vários trabalhadores braçais.inclusive no campo que vem se revolucionando cada vez mais se igualando às indústrias da "cidade grande".
Com o período da pandemia as escolas e faculdades tiveram que se reinventar tornando as aulas presenciais em online por meio da tecnologia,tornando-se a solução mais viável.
A exploração trabalhista

A constituição federal de 1988[1], d[…]

EmillyySilva poderia me ajudar a corrigir essa r[…]

igualdade a todos

A constituição federal de 1988, docu[…]

A obra da artista brasileira Tarsila do Amaral &ls[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM