Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por cibellem
#59692
No livro "Educação e Luta de Classes", Aníbal Ponce evidencia a educação como reflexo dos interesses da classe social imperante em determinado momento histórico. Fora do campo teórico, a realidade apresentada não é diferente, visto que as taxas de analfabetismo no Brasil mostram-se extremamente altas. Isso ocorre tanto pela má gestão governamental quanto pela falta de um regime de colaboração entre órgãos educacionais.

Sob esse viés, a ausência de investimentos e implementação de projetos voltados à educação básica contribui para manter os baixos índices de escolaridade. É notória, portanto, a ineficácia do Estado em oferecer um ensino de qualidade para a formação de estudantes autônomos, aptos a escrever, ler, interpretar e se expressar.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,6% da população brasileira acima dos quinze anos é analfabeta. Dentre essa porcentagem, o Nordeste tem participação de 13,9%, a maior por regiões, englobando principalmente idosos acima de 60 anos e pretos e pardos. Nesse sentido, observa-se que o problema não é um fato isolado, mas compreende áreas políticas, culturais e econômicas: a pobreza, o preconceito, e a inexistência de incentivo familiar perpetuam esse cenário.

Ademais, percebe-se a necessidade de esclarecer conceitos, objetivos e meios de ensino. Paulo Freire, com a frase: "O diálogo cria a base para a colaboração", exprime o quão é imprescindível a articulação entre professores, escolas e células do governo para a criação de um plano de universalização da educação.

Infere-se, portanto, que medidas são necessárias para diminuir o analfabetismo no Brasil. O Governo Federal, através do Ministério da Educação, por meio de verbas públicas, deve promover a construção de escolas e capacitação de professores que tenham como foco o letramento de jovens e adultos. Somente assim superaremos o déficit de alfabetização no país.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

:D Segundo Paul Atson, co- fundador da Greenpeace […]

O isolamento social durante a pandemia de covid-19[…]

camis23 adorei a correção, concert[…]

No livro, "Os sete maridos de Evelyn Hugo&quo[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM