Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
Por Claraaa
#50083
"Vamos, não chores/... A vida não se perdeu". Nesses versos de Carlos Drummond de Andrade, vê-se o eu lírico proferindo um discurso esperançoso, já que, segundo ele, enquanto houver vida existe a possibilidade de se reverter quadros problemáticos. Relacionando esse discurso poético otimista com o analfabetismo no Brasil, verifica-se que acreditar bem um futuro melhor, se4m esse problema, tende a potencializar a busca por soluções. Nesse prisma, cabe analisar essa questão no país.
Inicialmente, compreende-se que ao permitir a falta de combate ao analfabetismo o Poder Público mostra-se negligente. Isso porque há uma falha no processo de fiscalização, uma vez que falta inspecionar com mais rigor a efetivação do ordenamento jurídico que prevê a ascensão obrigatória de crianças e adolescentes nas redes de ensino, prejudicando, dessa forma, o direito a educação destes. No entendo, nota-se que o governo não tem assegurado o bem-estar de toda a população, configurando a ruptura do contrato social teorizado pelo filósofo Thomas Hobbes do livro "Leviatã".
Além disso, destaca-se que existe a tendência de se atribuir toda responsabilidade aos demais integrantes da sociedade sobre o problema da falta de caminhos para o combate do analfabetismo. Porém, a própria omissão diante deste fenômeno não costuma ser percebida. Prova disso pode ser inércia individual perante perante a ausência de investimento financeiro estatal, posto que faltam verbas para efetivação dos transportes escolares, por exemplo, nas zonas rurais nordestina, comprometendo, dessa forma, o direito ao acesso a educação. Esse fato vem a fortalecer o discurso do filósofo Jean Paul-Sartre de que para algumas pessoas, "o inferno são os outros".
Convém, portento, ressaltar que o analfabetismo deve ser superado. Logo, é necessário exigir do Estado, mediante debates em audiências públicas uma maior inspeção nas legislações, priorizando acesso as de crianças e adolescentes nas instituições de ensino, com objetivo de ensinamento pleno a todos. Ademais, é fundamental sensibilizar a população via campanhas midiáticas produzidas por ONGs, com objetivo de se adotar uma postura não omissa diante da não alfabetização, potencializando, assim, a mobilização coletiva em prol do aumento de veículos escolares. Desse modo, assim como nos versos de Carlos Drummond de Andrade, é possível ter esperança de se enfrentar os entraves existentes.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#50103
Olá! Vou dar algumas opiniões sobre a sua redação, espero que sejam bem-vindas ;)



"Vamos, não chores/... A vida não se perdeu". Nesses versos de Carlos Drummond de Andrade, vê-se o eu lírico proferindo um discurso esperançoso, já que, segundo ele, enquanto houver vida existe a possibilidade de se reverter quadros problemáticos. Relacionando esse discurso poético otimista com o analfabetismo no Brasil, verifica-se que acreditar bem um futuro melhor, se4m[1] esse problema, tende a potencializar a busca por soluções. Nesse prisma, cabe analisar essa questão no país. [2]

[1] - Provável erro de digitação, mas ainda vou pontuar só para não passar em branco.
[2] - Seria interessante colocar, aqui, uma sugestão de proposta que você irá desenvolver no último parágrafo.


Inicialmente, compreende-se que ao permitir a falta de combate ao analfabetismo [1] o Poder Público mostra-se negligente. Isso porque há uma falha no processo de fiscalização, uma vez que falta inspecionar com mais rigor a efetivação do ordenamento jurídico que prevê a ascensão obrigatória de crianças e adolescentes nas [2] redes de ensino, prejudicando, dessa forma, o direito a educação destes. No entendo, nota-se que o governo não tem assegurado o bem-estar de toda a população, configurando a ruptura do contrato social teorizado pelo filósofo Thomas Hobbes do livro "Leviatã".

[1] - "ao permitir a falta de combate ao analfabetismo" deveria estar entre vírgulas, pois se trata de um aposto.
[2] - A regência de "ascensão" é "ascendar a..." e não "ascender em..." Como foi colocado. Além disso, a palavra significa subir a um novo patamar, não necessariamente a mera entrada como foi colocado no texto. Seria interessante usar outra palavra para não confundir o corretor.

Além disso, destaca-se que existe a tendência de se atribuir toda responsabilidade aos demais integrantes da sociedade sobre o problema da falta de caminhos para o combate do analfabetismo. Porém, a própria omissão diante deste fenômeno não costuma ser percebida. Prova disso pode ser inércia individual perante perante [1] a ausência de investimento financeiro estatal, posto que faltam verbas para efetivação dos transportes escolares, por exemplo, nas zonas rurais nordestina, comprometendo, dessa forma, o direito ao acesso a educação. Esse fato vem a fortalecer o discurso do filósofo Jean Paul-Sartre de que para algumas pessoas, "o inferno são os outros".[2]

[1] - Provável erro de digitação, "perante" duas vezes seguidas.

[2] - Para ser sincera, todo esse parágrafo me pareceu confuso, pois não há como entender se a culpa é do cidadão que se recusa a mudar sua condição de analfabetismo e por isso coloca muitas "desculpas" no caminho (como a falta de transporte nas zonas rurais); ou se a culpa é da sociedade que se mantém inerte frente ao descaso do governo. Com frases mais diretas e curtas seria possível desfazer essa confusão.


Convém, portento,[1] ressaltar que o analfabetismo deve ser superado. Logo, é necessário exigir do Estado, mediante debates em audiências públicas uma maior inspeção nas legislações, priorizando acesso as de crianças e adolescentes nas instituições de ensino, com objetivo de ensinamento pleno a todos. Ademais, é fundamental sensibilizar a população via campanhas midiáticas produzidas por ONGs, com objetivo de se adotar uma postura não omissa diante da não alfabetização, potencializando, assim, a mobilização coletiva em prol do aumento de veículos escolares. Desse modo, assim como nos versos de Carlos Drummond de Andrade, é possível ter esperança de se enfrentar os entraves existentes.

[1] - "Portanto"



Achei um bom texto, demonstra que você tem uma base boa de argumentação e só precisa melhorar a forma como se expressa, além de umas revisões na gramática. Por ser um texto digitado, acredita que boa parte dos errinhos foi por causa de digitação, mas é bom prestar atenção a possíveis erros de ortografia.

Bom trabalho, espero ter ajudado!!

A série "13 Reasons Why", baseada[…]

Nos dias atuais é visível a falta de[…]

Com base nos dados da OMS de 2017, mais de 300 mil[…]

A falta de empatia é uma das causas mais pr[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM