• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#70957
O filme "Parasita" retrata duas realidades diferentes: enquanto a família rica vê uma massiva chuva como sinal de benção e prosperidade, a família pobre tem sua casa alagada, perde todos os seus bens e é obrigada a passar a noite em um ginásio com outras dezenas de desabrigados. Paralelamente, no Brasil, as tragédias relacionadas às enchentes trazem enorme devastação e desesperança, sobretudo àqueles mais pobres. Logo, torna-se necessário analisar a ação da desigualdade social e do comportamento do Estado nessa problemática.

Nesse contexto, as disparidades socioeconômicas agem como agravantes do revés. Acerca disso, o dramaturgo Ariano Suassuna afirma que existe uma injustiça secular que divide o Brasil em dois países distintos: o dos privilegiados e o dos despossuídos. Dito isso, entende-se que a porção desfavorecida da população abrange aqueles que vivem em áreas suburbanas e sem infraestrutura, o que faz com que a água das chuvas inunde suas casas, acarretando perda de móveis, roupas e posses no geral. Assim, urge minimizar tal condição para que fatores climáticos, como a chuva, não sejam mais temidos.

Ademais, o mau desempenho estatal contribui para a permanência do problema. A esse respeito, o filósofo inglês Thomas Hobbes defende a ideia de que é dever do Estado propiciar meios que auxiliem o desenvolvimento social. Entretanto, esse pensamento não é concretizado, uma vez que o governo não direciona verbas para projetos que visem o escoamento e absorção das águas, como a permeabilização do solo, o que, por consequência, evitaria inundações e os impasses relacionados a ela, tal como o alagamento de residências e a transmissão de doenças infecciosas. Sendo assim, essa negligência se torna ilógica em uma sociedade dita desenvolvida.

Portanto, é indubitável a necessidade de mitigar os fatores que causam enchentes no Brasil. Por isso, com o fito de solucionar a ineficiência governamental e reduzir os impactos das desigualdades sociais, as prefeituras municipais devem, através da construção de parques e gramados, promover projetos voltados para a infraestrutura dos bairros pobres com foco no aumento da permeabilidade do solo, o que fará com que a água das chuvas seja absorvida e não se acumule nas ruas. Desse modo, cenas como as de "Parasita" serão restritas à ficção.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#71464
Oioi, tudo bem? Sou apenas estudante, então estarei apenas dando minha opinião sobre seu texto.

Azul: apresenta recurso esperado
Vermelho: erro
Amarelo: ajuste ou não é necessário
Laranja: observações

INTRODUÇÃO:

O filme "Parasita" retrata duas realidades diferentes: enquanto a família rica vê uma massiva chuva como sinal de benção e prosperidade, a família pobre tem sua casa alagada, perde todos os seus bens e é obrigada a passar a noite em um ginásio com outras dezenas de desabrigados. Paralelamente, no Brasil, as tragédias relacionadas às enchentes trazem enorme devastação e desesperança, sobretudo àqueles mais pobres. Logo, torna-se necessário analisar a ação da desigualdade social e do comportamento do Estado nessa problemática.

<< Uau! Não vi nenhum problema nesse parágrafo aqui! >>

DESENVOLVIMENTO 1:

Nesse contexto, as disparidades socioeconômicas ( Acho que o melhor aqui, seria "desigualdade social" agem como agravantes do revés (Não tenho certeza, mas acho que era preciso a retomada do tema aqui, de forma clara). Acerca disso, o dramaturgo Ariano Suassuna afirma que existe uma injustiça secular que divide o Brasil em dois países distintos: o dos privilegiados e o dos despossuídos. Dito isso, entende-se que a porção desfavorecida da população ( aqui você poderia colocar "como apresentado pelo dramaturgo) abrange aqueles que vivem em áreas suburbanas e sem infraestrutura, o que faz com que a água das chuvas inunde suas casas, acarretando perda de móveis, roupas e posses no geral. Assim, urge minimizar tal condição para que fatores climáticos, como a chuva, não sejam mais temidos (FECHAMENTO)

<< você possui uma boa argumentação! Entretanto, só veja as observações que coloquei no decorrer do parágrafo. >>

DESENVOLVIMENTO 2:

Ademais, o mau desempenho estatal contribui para a permanência do problema. A esse respeito, o filósofo inglês , Thomas Hobbes, defende a ideia de que é dever do Estado propiciar meios que auxiliem o desenvolvimento social. Entretanto, esse pensamento não é concretizado, uma vez que o governo não direciona verbas para projetos que visem o escoamento e absorção das águas, como a permeabilização do solo, o que, por consequência, evitaria inundações e os impasses relacionados a ela, tal como o alagamento de residências e a transmissão de doenças infecciosas. Sendo assim, essa negligência se torna ilógica em uma sociedade dita desenvolvida (FECHAMENTO).

<< MEU DEUS, estou impressionada com a produtividade que você emprega o repertório a favor do seu argumento!! >>

CONCLUSÃO:

Portanto, é indubitável a necessidade de mitigar os fatores que causam enchentes no Brasil. Por isso, com o fito de solucionar a ineficiência governamental e reduzir os impactos das desigualdades sociais, as prefeituras municipais (AGENTES)devem, através da construção de parques e gramados (MEIO), promover projetos voltados para a infraestrutura dos bairros (AÇÃO)pobres com foco no aumento da permeabilidade do solo (DETALHAMENTO), o que fará com que a água das chuvas seja absorvida e não se acumule nas ruas (EFEITO). Desse modo, cenas como as de "Parasita" serão restritas à ficção.

<<Só tenho elogios a cerca dessa conclusão. Tá incrível! >>

Bem, assim, acabo minha analise aqui! Espero ter lhe ajudado de alguma forma. Beijão <3

⚠️ Não sou muito boa com as competências. Então, vou pontuar sua redação de acordo com meus conhecimentos. ⚠️

( Mil desculpas se cometi algum erro ao decorrer da minha análise, não sou profissional.)
#71475
geoca escreveu:Oioi, tudo bem? Sou apenas estudante, então estarei apenas dando minha opinião sobre seu texto.

Azul: apresenta recurso esperado
Vermelho: erro
Amarelo: ajuste ou não é necessário
Laranja: observações

INTRODUÇÃO:

O filme "Parasita" retrata duas realidades diferentes: enquanto a família rica vê uma massiva chuva como sinal de benção e prosperidade, a família pobre tem sua casa alagada, perde todos os seus bens e é obrigada a passar a noite em um ginásio com outras dezenas de desabrigados. Paralelamente, no Brasil, as tragédias relacionadas às enchentes trazem enorme devastação e desesperança, sobretudo àqueles mais pobres. Logo, torna-se necessário analisar a ação da desigualdade social e do comportamento do Estado nessa problemática.

<< Uau! Não vi nenhum problema nesse parágrafo aqui! >>

DESENVOLVIMENTO 1:

Nesse contexto, as disparidades socioeconômicas ( Acho que o melhor aqui, seria "desigualdade social" agem como agravantes do revés (Não tenho certeza, mas acho que era preciso a retomada do tema aqui, de forma clara). Acerca disso, o dramaturgo Ariano Suassuna afirma que existe uma injustiça secular que divide o Brasil em dois países distintos: o dos privilegiados e o dos despossuídos. Dito isso, entende-se que a porção desfavorecida da população ( aqui você poderia colocar "como apresentado pelo dramaturgo) abrange aqueles que vivem em áreas suburbanas e sem infraestrutura, o que faz com que a água das chuvas inunde suas casas, acarretando perda de móveis, roupas e posses no geral. Assim, urge minimizar tal condição para que fatores climáticos, como a chuva, não sejam mais temidos (FECHAMENTO)

<< você possui uma boa argumentação! Entretanto, só veja as observações que coloquei no decorrer do parágrafo. >>

DESENVOLVIMENTO 2:

Ademais, o mau desempenho estatal contribui para a permanência do problema. A esse respeito, o filósofo inglês , Thomas Hobbes, defende a ideia de que é dever do Estado propiciar meios que auxiliem o desenvolvimento social. Entretanto, esse pensamento não é concretizado, uma vez que o governo não direciona verbas para projetos que visem o escoamento e absorção das águas, como a permeabilização do solo, o que, por consequência, evitaria inundações e os impasses relacionados a ela, tal como o alagamento de residências e a transmissão de doenças infecciosas. Sendo assim, essa negligência se torna ilógica em uma sociedade dita desenvolvida (FECHAMENTO).

<< MEU DEUS, estou impressionada com a produtividade que você emprega o repertório a favor do seu argumento!! >>

CONCLUSÃO:

Portanto, é indubitável a necessidade de mitigar os fatores que causam enchentes no Brasil. Por isso, com o fito de solucionar a ineficiência governamental e reduzir os impactos das desigualdades sociais, as prefeituras municipais (AGENTES)devem, através da construção de parques e gramados (MEIO), promover projetos voltados para a infraestrutura dos bairros (AÇÃO)pobres com foco no aumento da permeabilidade do solo (DETALHAMENTO), o que fará com que a água das chuvas seja absorvida e não se acumule nas ruas (EFEITO). Desse modo, cenas como as de "Parasita" serão restritas à ficção.

<<Só tenho elogios a cerca dessa conclusão. Tá incrível! >>

Bem, assim, acabo minha analise aqui! Espero ter lhe ajudado de alguma forma. Beijão <3

⚠️ Não sou muito boa com as competências. Então, vou pontuar sua redação de acordo com meus conhecimentos. ⚠️

( Mil desculpas se cometi algum erro ao decorrer da minha análise, não sou profissional.)
muitíssimo obrigada pelas observações, @geoca! tenho certeza q irão me ajudar a evoluir, bjs <3

Muito se tem discutido, recentemente, acerca das d[…]

nycolas2005 , muito obrigada, fico feliz pela cor[…]

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio &aacu[…]

Oiii rnjun , tudo bem??? Antes de começar[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM