• Avatar do usuário
#71093
O livro Vidas Secas, do autor e do escritor renomado Graciliano Ramos, transparece umas das conjunturas sociais e alarmante no Brasil, sendo o caso da escassez de água e a miséria proporcionada pela ausência de acesso a condições dignas e adequadas. No entanto, mesmo sendo uma obra literária, a predominância de casos e o índice de insegurança e a falta de acesso à água potável, é nitidamente correlativo e perpetuante na atual sociedade brasileira. Na qual, essa realidade é agregado a fatores principais, como a insuficiência dos investimentos públicos e uma grande discrepância na distribuição de recursos hídricos.
Sendo que em primeira análise, é significativo ressaltar que a desigualdade e a ineficácia da distribuição de recursos hídricos e de saneamento básico e seguro, não é perceptível e logicamente notável. Já que, segundo os dados promovido pelo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 3% da água mundial é próprio para o consumo, a qual, uma grande parte se encontra em rios, lagos, fontes subterrâneas e nas calotas polares. Todavia, na situação brasileira essa porcentagem não é tangenciado e igualmente assegurado para toda população do país, e principalmente, para lugares de difícil acesso e de indisponibilidade.
Ademais, a insuficiência dos investimentos públicos, é um dos fatores agravantes que contribui para a falta de igualdade no acesso à água apropriadamente. Além de se descomprometer com o conceito da teoria contratualista do filósofo John Locke, em que o Estado dotado de poder e soberania, é o seu dever essencial resolver todas as questões públicas e sociais e condicionando uma harmonia e uma justiça plena entre a sociedade. Entretanto, a negligência e a incompetência do estado e do governo brasileiro em melhorar a infraestrutura e minimizar os agravamentos sociais, não demonstra uma notoriedade.
Por isso, a percepção de uma contexto crítico e de indigência, ocasionado pela escassez de água e os seus desdobramentos, ainda é generalizado e explícito. Ficando evidente, de que o Estado e o Governo Federal, por intermédio de investimentos econômicos, contribui para o reajuste e a ascensão da distribuição de recursos hídricos e civis. Além disso, é essencial que a Organização Não Governamental (ONGs), a partir de ações mediáticas e de exposições públicas e coletivas, fazer que ocorra propagandas e anúncios publicitários, que incentiva a importância do consumo de água corretamente e de forma sustentável. Somente assim, decorra o favorecimento da estruturação, distribuição e da acessibilidade à água de forma igualitária e garantida.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Muito se tem discutido, recentemente, acerca das d[…]

nycolas2005 , muito obrigada, fico feliz pela cor[…]

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio &aacu[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM