Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
Por manarand
#52137
No livro “A menina que roubava os livros”, de Markus Zusak, é retratado a vivência da protagonista nos tempos de Segunda Guerra Mundial. Nesse contexto, a narrativa foca na trajetória da Liesel que foi abandonada pela sua família e adotada por outra, o qual começa a ser alfabetizada pelo seu pai adotivo que lhe ensina a ler, o ajudando superar e interagir com a sociedade daquela época. Fora da ficção, é fato que a função apresentada pelo pai da protagonista está sendo quase ausente nas famílias brasileiras, além da desigualdade social existente, criando assim grandes desafios na alfabetização infantil.
Em primeiro lugar, vale ressaltar que a família exerce uma influência enorme sobre o desenvolvimento da linguagem de seus filhos, em que o ambiente familiar, sobretudo durante a primeira infância, é decisivo para o futuro escolar das crianças. Nesse sentido, um dos mais importantes educadores brasileiros, Paulo Freire, produziu uma obra famosa: “Pedagogia do Oprimido”, no qual apresenta que os pais mostrassem opressoras ao depositar a responsabilidade da educação no filho somente nas escolas e nos profissionais de ensino. Essa ideia está sendo mostrada no Brasil, pois muitas famílias ignoram sua responsabilidade na educação dos filhos.
Por outra lado, é necessário lembrar que no Brasil existe uma cruel desigualdade social, em que as instituições de ensino mais privilegiadas estão concentradas nas regiões sul e sudeste, além de várias ofertas de emprego que oferecem salário suficiente para a sustentação familiar. Ao contrário do que é apresentado por outras regiões periféricas, onde tem falta de estrutura necessária para oferecimento de aprendizagem adequado, além do trabalho infantil frequente para garantir a sobrevivência de suas famílias. Desse modo, a educação é disponível de forma injusta, em que a alfabetização entre crianças mais ricas é ate 6 vezes maior que entre as pobres, segundo a Secretaria da Educação.
Afinal, é necessário que o Estado tome providencias para amenizar o quadro atual. Por isso, o ministério da educação deve, a partir da libertação de verbas financeiras, investir no desenvolvimento das instituições de ensino em áreas mais afetadas, principalmente nas regiões norte e nordeste do país, garantindo assim uma educação mais igualitária. Além de adotar o hábito de leitura, por lado das famílias e escolas, que os incentiva para ter um bom desempenho em seus estudos. Somente assim será possível preservar a alfabetização infantil no Brasil, garantindo o surgimento de jovens e adolescente como a protagonista Liesel.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

O preconceito é algo constante no dia a dia[…]

@medlover @Costa2020 @Felipe082 @RafaNaBase @Nicol[…]

As doenças mentais alcançaram elevad[…]

Segundo a Organização Mundial da Sa&[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM