Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como: "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#39223
Conforme a Constituição Federal de 1988, o aborto induzido é crime, exceto em casos que a gravidez: apresenta riscos para a vida da gestante; é resultado de um estupro; ou tem o feto anencefálico. No entanto, embora a lei proíba a interrupção da gestação, muitas mulheres realizam tal ação de maneira clandestina e não segura frequentemente no Brasil. Logo, torna-se necessário combater esse grave problema que tem como principal causa a fragilidade econômica e traz diversas consequências, sendo uma delas a morte do público feminino.

Em primeiro plano, vale ressaltar a vulnerabilidade econômica como uma das razões do feticídio. Acerca disso, o antropólogo Darcy Ribeiro denota a existência de uma perversidade intrínseca na herança do país, que torna a maior parte da população enferma da desigualdade. À vista disso, muitas mulheres encontram-se em condições pouco favoráveis à criação de um filho, nas quais predomina uma busca infeliz por recursos básicos para a sua sobrevivência, já que enfrentam grandes dificuldades financeiras, além do abandono familiar e, sobretudo, conjugal. Assim, a permanência nessa situação poderá levá-las, na maioria dos casos, a assumirem os riscos de um aborto ilegal.

Em segundo plano, cabe analisar a morte das mulheres como um dos impactos da controvérsia. Nessa perspectiva, a máxima da professora e antropóloga Débora Diniz de que “o que mata não é o aborto, é a clandestinidade” cabe perfeitamente. De fato, essa ideia pode ser comprovada pelas péssimas circunstâncias em que é realizado o procedimento, as quais são marcadas, muitas vezes, por locais inadequados e pessoas despreparadas. Desse modo, tal cenário acaba tornando o aborto perigoso e cheio de complicações e, consequentemente, um risco para a saúde da mulher.

Portanto, providências precisam ser tomadas para mudar essa lamentável situação. Para tal, o Poder Legislativo, juntamente com o Poder Executivo, deverá, por meio de uma emenda constitucional, descriminalizar o aborto e garantir assistência médica para a realização do procedimento. Essa medida tem como finalidade fortalecer a autonomia e liberdade sobre o corpo feminino e, posteriormente, atenuar o número de práticas clandestinas realizadas no Brasil. Dessa maneira, os efeitos do método não seguro serão amenizados e, consequentemente, a mortalidade reduzirá.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 196

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 192

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#39269
Andree escreveu:
Anna1 escreveu:@Ashiley, @EduardoPedro, @Andree, podem corrigir, por favor? :D
Oi Ana! tudo bom? Boa noite.. que saudades eu já tava sentindo de ver redações suas aqui na plataforma, estarei olhando essa nesse final de semana, tá bom? Peço que aguarde só um pouco. No mais, até lá ❤️
**Anna**
Obrigada, André, estarei aguardando :D
#39296
@Anna1, não tenho muito o que falar. Seu texto está ótimo! Porém, na sua conclusão não vi um detalhamento evidente.

Portanto, providências precisam ser tomadas para mudar essa lamentável situação. Para tal, o Poder Legislativo, juntamente com o Poder Executivo (AGENTES), deverá, por meio de uma emenda constitucional (MEIO/MODO), descriminalizar o aborto e garantir assistência médica para a realização do procedimento (AÇÃO). Essa medida tem como finalidade fortalecer a autonomia e liberdade sobre o corpo feminino e, posteriormente, atenuar o número de práticas clandestinas realizadas no Brasil (EFEITO/FINALIDADE). Dessa maneira, os efeitos do método não seguro serão amenizados e, consequentemente, a mortalidade reduzirá.

Bom, a meu ver faltou o detalhamento ou pelo menos uma maior evidência desse elemento. Talvez você tenha detalhado o efeito/finalidade, mas te aconselho a detalhar a ação ou agente. É apenas isso... Bons estudos e parabéns!
#39309
@Anna1, Olá! Tudo bem? Desculpa a demora. Vou fazer meus apontamentos. Vamos lá?

1 - INTRODUÇÃO
Conforme a Constituição Federal de 1988, o aborto induzido é crime, exceto em casos que a gravidez: (1) apresenta(:) riscos para a vida da gestante; é resultado de um estupro; ou tem o feto anencefálico (REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL). No entanto, embora a lei proíba a interrupção da gestação, muitas mulheres realizam tal ação de maneira clandestina e não segura frequentemente no Brasil (PROBLEMATIZAÇÃO). Logo, torna-se necessário combater esse grave problema que tem como principal causa a fragilidade econômica e traz diversas consequências, sendo uma delas a morte do público feminino (TESE).

(1) Aqui é só uma observação; acho que esses dois pontos foi desnecessário, uma vez que ele insinua uma apresentação. Acho que aqui foi desnecessário, mas bem que você poderia por onde eu deixei em verde. Ficaria bem melhor e encaixaria com o contexto que se enquadra, dado que ali você apresentou as causas. (Só uma observação mesmo. Não se preocupe, não contei como erro).

Comentário: Excelente introdução! Possui todos os critérios exigidos. Repertório, problematização e tese. Sem contar a ótima organização. Meus parabéns! Nada a declarar.

2 - DESENVOLVIMENTO 1
Em primeiro plano, vale ressaltar a vulnerabilidade econômica como uma das razões do feticídio (TÓPICO FRASAL). Acerca disso, o antropólogo Darcy Ribeiro denota a existência de uma perversidade intrínseca na herança do país, que torna a maior parte da população enferma da desigualdade (REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL). À vista disso, muitas mulheres encontram-se em condições pouco favoráveis à criação de um filho, nas quais predomina uma busca infeliz por recursos básicos para a sua sobrevivência, já que enfrentam grandes dificuldades financeiras, além do abandono familiar e, sobretudo, conjugal (ARGUMENTAÇÃO). Assim, a permanência nessa situação poderá levá-las, na maioria dos casos, a assumirem os riscos de um aborto ilegal.

Comentário: Excelente desenvolvimento! Possui todos os critérios exigidos e contém uma exuberante organização, ótimos argumentos e repertórios. Muito bom!

3 - DESENVOLVIMENTO 2
Em segundo plano, cabe analisar a morte das mulheres como um dos impactos da controvérsia (TÓPICO FRASAL). Nessa perspectiva, a máxima da professora e antropóloga Débora Diniz de que “o que mata não é o aborto, é a clandestinidade” cabe perfeitamente (REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL). De fato, essa ideia pode ser comprovada pelas péssimas circunstâncias em que é realizado o procedimento, as quais são marcadas, muitas vezes, por locais inadequados e pessoas despreparadas (ARGUMENTAÇÃO). Desse modo, tal cenário acaba tornando o aborto perigoso e cheio de complicações e, consequentemente, um risco para a saúde da mulher.

Comentário: Eu só queria destacar que a sua argumentação ficou muito curta (resumida). Espero que aumente um pouco na próxima, pois assim terá mais explicação para os seus argumentos os deixando mais claros. Ademais, ótimo desenvolvimento. Nada a declarar.

4 - CONCLUSÃO
Portanto, providências precisam ser tomadas para mudar essa lamentável situação. Para tal, o Poder Legislativo (AGENTE), juntamente com o Poder Executivo, deverá, por meio de uma emenda constitucional (MEIO/MODO), descriminalizar o aborto e garantir assistência médica para a realização do procedimento (AÇÃO). Essa medida tem como finalidade fortalecer a autonomia e liberdade sobre o corpo feminino e, posteriormente, atenuar o número de práticas clandestinas realizadas no Brasil (EFEITO/FINALIDADE). Dessa maneira, os efeitos do método não seguro serão amenizados e, consequentemente, a mortalidade reduzirá.

Comentário: Bem, como a Ashiley destacou, não pude ver o detalhamento ou uma evidência clara de sua presença nessa proposta de intervenção. Logo, não poderei dar os 200 nessa competência. Caso haja e você me marque em breve para destacar, poderei sim dar os 200 aqui, no entanto, tirarei 20 pontos da C3, pois essa desorganização até então impediu um melhor entendimento de todos 5 elementos. Desculpa. :?

Ademais, sua redação ao todo está ótima! Meus parabéns. Aguardo por mais redações... ;)


Bons estudos!
#39347
Ashiley escreveu:@Anna1, não tenho muito o que falar. Seu texto está ótimo! Porém, na sua conclusão não vi um detalhamento evidente.

Portanto, providências precisam ser tomadas para mudar essa lamentável situação. Para tal, o Poder Legislativo, juntamente com o Poder Executivo (AGENTES), deverá, por meio de uma emenda constitucional (MEIO/MODO), descriminalizar o aborto e garantir assistência médica para a realização do procedimento (AÇÃO). Essa medida tem como finalidade fortalecer a autonomia e liberdade sobre o corpo feminino e, posteriormente, atenuar o número de práticas clandestinas realizadas no Brasil (EFEITO/FINALIDADE). Dessa maneira, os efeitos do método não seguro serão amenizados e, consequentemente, a mortalidade reduzirá.

Bom, a meu ver faltou o detalhamento ou pelo menos uma maior evidência desse elemento. Talvez você tenha detalhado o efeito/finalidade, mas te aconselho a detalhar a ação ou agente. É apenas isso... Bons estudos e parabéns!
Olá, Ashiley, obrigada pelos comentários :D . Eu detalhei a finalidade, mas se você não conseguiu perceber é porque não ficou muito explícito, melhorarei na próxima ;) .
#39349
EduardoPedro escreveu:@Anna1, Olá! Tudo bem? Desculpa a demora. Vou fazer meus apontamentos. Vamos lá?

1 - INTRODUÇÃO
Conforme a Constituição Federal de 1988, o aborto induzido é crime, exceto em casos que a gravidez: (1) apresenta(:) riscos para a vida da gestante; é resultado de um estupro; ou tem o feto anencefálico (REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL). No entanto, embora a lei proíba a interrupção da gestação, muitas mulheres realizam tal ação de maneira clandestina e não segura frequentemente no Brasil (PROBLEMATIZAÇÃO). Logo, torna-se necessário combater esse grave problema que tem como principal causa a fragilidade econômica e traz diversas consequências, sendo uma delas a morte do público feminino (TESE).

(1) Aqui é só uma observação; acho que esses dois pontos foi desnecessário, uma vez que ele insinua uma apresentação. Acho que aqui foi desnecessário, mas bem que você poderia por onde eu deixei em verde. Ficaria bem melhor e encaixaria com o contexto que se enquadra, dado que ali você apresentou as causas. (Só uma observação mesmo. Não se preocupe, não contei como erro).

Comentário: Excelente introdução! Possui todos os critérios exigidos. Repertório, problematização e tese. Sem contar a ótima organização. Meus parabéns! Nada a declarar.

2 - DESENVOLVIMENTO 1
Em primeiro plano, vale ressaltar a vulnerabilidade econômica como uma das razões do feticídio (TÓPICO FRASAL). Acerca disso, o antropólogo Darcy Ribeiro denota a existência de uma perversidade intrínseca na herança do país, que torna a maior parte da população enferma da desigualdade (REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL). À vista disso, muitas mulheres encontram-se em condições pouco favoráveis à criação de um filho, nas quais predomina uma busca infeliz por recursos básicos para a sua sobrevivência, já que enfrentam grandes dificuldades financeiras, além do abandono familiar e, sobretudo, conjugal (ARGUMENTAÇÃO). Assim, a permanência nessa situação poderá levá-las, na maioria dos casos, a assumirem os riscos de um aborto ilegal.

Comentário: Excelente desenvolvimento! Possui todos os critérios exigidos e contém uma exuberante organização, ótimos argumentos e repertórios. Muito bom!

3 - DESENVOLVIMENTO 2
Em segundo plano, cabe analisar a morte das mulheres como um dos impactos da controvérsia (TÓPICO FRASAL). Nessa perspectiva, a máxima da professora e antropóloga Débora Diniz de que “o que mata não é o aborto, é a clandestinidade” cabe perfeitamente (REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL). De fato, essa ideia pode ser comprovada pelas péssimas circunstâncias em que é realizado o procedimento, as quais são marcadas, muitas vezes, por locais inadequados e pessoas despreparadas (ARGUMENTAÇÃO). Desse modo, tal cenário acaba tornando o aborto perigoso e cheio de complicações e, consequentemente, um risco para a saúde da mulher.

Comentário: Eu só queria destacar que a sua argumentação ficou muito curta (resumida). Espero que aumente um pouco na próxima, pois assim terá mais explicação para os seus argumentos os deixando mais claros. Ademais, ótimo desenvolvimento. Nada a declarar.

4 - CONCLUSÃO
Portanto, providências precisam ser tomadas para mudar essa lamentável situação. Para tal, o Poder Legislativo (AGENTE), juntamente com o Poder Executivo, deverá, por meio de uma emenda constitucional (MEIO/MODO), descriminalizar o aborto e garantir assistência médica para a realização do procedimento (AÇÃO). Essa medida tem como finalidade fortalecer a autonomia e liberdade sobre o corpo feminino e, posteriormente, atenuar o número de práticas clandestinas realizadas no Brasil (EFEITO/FINALIDADE). Dessa maneira, os efeitos do método não seguro serão amenizados e, consequentemente, a mortalidade reduzirá.

Comentário: Bem, como a Ashiley destacou, não pude ver o detalhamento ou uma evidência clara de sua presença nessa proposta de intervenção. Logo, não poderei dar os 200 nessa competência. Caso haja e você me marque em breve para destacar, poderei sim dar os 200 aqui, no entanto, tirarei 20 pontos da C3, pois essa desorganização até então impediu um melhor entendimento de todos 5 elementos. Desculpa. :?

Ademais, sua redação ao todo está ótima! Meus parabéns. Aguardo por mais redações... ;)


Bons estudos!
Muito obrigada pelos comentários :D .

Como eu falei para a Ashiley acima, eu detalhei a finalidade, mas como vocês não perceberam é porque eu não deixei muito explícito que era um detalhamento, foi vacilo meu.
Sobre o D2: também achei que ficou vago, só fiquei sem saber ao certo o que escrever rs.
Sobre os dois pontos da introdução: eu os coloquei porque ficou muito sem sentido sem eles pois eu fiz meio que uma "lista", olha:
"exceto em casos que a gravidez:
apresenta riscos para a vida da gestante;
é resultado de um estupro;
ou tem o feto anencefálico."

Maxuel Erros Correção […]

CORREÇÃO (X) Segundo o inciso XI […]

Fake News

Jaklyni , Obrigado pela correção

Sua nota ficou 560! Espero ter ajudado ;) Obriga[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM