Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#56422
¨Aqueles que não conseguem lembrar do passado estão condenados à repeti-lo¨. Através desta frase do filósofo espanhol George Santayana, vê-se que esta se encaixa na realidade hodierna, pois A violência contra a mulher no Brasil não é um problema atual. No país, entre 1980 e 2010, mais de 92 mil mulheres foram assassinadas. De mesmo modo, na contemporaneidade, as dificuldades persistem, seja pela falha regulamentar, seja pelo medo ao denunciar.
Primordialmente, é fundamental pontuar que a questão regulamentar e seu cumprimento estejam entre as causas do problema. Segundo o pensador Thomas Hobbes, o Estado é responsável por garantir o bem-estar da população, entretanto, isso não ocorre no Brasil. Diante do exposto, observa-se que, a implantação da Lei Maria da Penha, que tem como objetivo a proteção da mulheres, aumentou as ¨esperanças¨ de que o fim da violência contra o gênero feminino estava próximo. Contudo, devido a baixa atuação das autoridades, verifica-se que essa Lei é constatada na teoria, mas tendo em vista a continuidade deste crime, vê-se que tal regulamento não apresenta total êxito em sua prática. Desse modo, faz-se mister a reestruturação dessa postura estatal de forma urgente.
Paralelo a isso, vale também ressaltar o medo ao denunciar como fomentador do problema. De acordo com a Secretaria de Políticas para Mulheres, a violência física ocupa 51,68% do número de ocorrências, sem contar as que não denunciam por medo. Tudo isso retarda a resolução do empecilho, já que A violência contra a mulher coadjuva para a perenização desse quadro nocente.
Dessa forma, pode-se perceber que o debate acerca do problema é imprescindível para a construção de uma sociedade integrada. Sendo assim, cabe ao Tribunal de Contas da União direcionar verbas que por intermédio da Secretaria de Políticas para as mulheres será revertido na criação de Leis realmente efetivas e a implementação do debate acerca dessa problemática em todas as escolas do país, pois a educação é a base de todo cidadão. Desse modo, atenuar-se-á, em médio e longo prazo o impacto nocivo da Violência contra a mulher no Brasil.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A Prática do Bullying tem si tornado cada v[…]

No que se refere à democratizaç&atil[…]

Violência Naturalizada O desvalor, e […]

Em pleno século XXI transtornos mentais &ea[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM