• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#76090
BRASILEIRA
Sob a perspectiva filosófica de São Tomé de Aquino todo indivíduo de uma sociedade democrática possuem a mesma importância, além dos mesmos direitos e deveres. No entanto, percebe-se que na sociedade Brasileira tal prerrogativa não ter sido praticada com ênfase quando se trata das questões da gordofobia. Nesse sentido tal fato torna-se em grande desafio a ser enfrentado, devido a carência de informações e por conta também da negligência governamental.
Nessa perspectiva, cabe-se ressaltar que a falta de informação é um graduante impulsionador para a problemática. Nesse âmbito é lícito referenciar o filósofo grego Platão, que, em sua obra á República narrou o intitulado “mito da caverna”, no qual homens acorrentados em uma caverna viam somente sombras na parede acreditando que àquilo era a realidade das coisas. Dessa forma, é notório que, em situação análoga á metáfora, a população sem acesso ao conhecimento acerca das questões relacionadas a gordofobia no território brasileiro, vivem na escuridão, isto é, ignorância, disseminando atitudes gordofóbicas. Logo, haja vista que a falta de informação prejudica o desenvolvimento do país, medidas acabam se tornando extremamente necessárias para a resolução desse problema.
Convém pontuar, ainda, que a negligência por parte do governo é um grande estopim para a situação. Desse modo, é indubitável que a falta de iniciativa na área educacional contribui para com o aumento do casos de gordofobia, já que esse fator precisa de apoio governamental para crescer sem dificuldades no Estado. Isso acontece porque, com base na teoria do filósofo inglês John Locke, na qual frisava que a configuração é como uma violação do “Contrato Social”, por conta do poder estatal não cumprir sua função de garantia o bem-estar dos cidadãos. Dessa maneira, se torna urgente a mudança dessa postura estatal.
Portanto, percebe-se a urgência em resolver a questão da gordofobia na Terra de Vera Cruz. Para isso, é fundamental que o Ministério da Educação agregado com o Governo, crie projetos educacionais nas escolas por meio campanhas midiáticas em canais abertos de televisão e em redes sociais de grande alcance. Paralelamente, as administrações públicas - em todas as suas esferas - devem implantar um Projeto Nacional de Incentivo à Educação, o modo pelo qual será instrumento balizador para planejar políticas e programas educacionais, mediante campanhas de divulgações informativas sobre a transmissão de conhecimento, por meio de palestra, distribuição de panfletos e com o auxílio de profissionais qualificados na área, com direcionamento em todos os municípios brasileiros, atingindo toda a população no âmbito escolar e familiar. Isso será feito a fim de construir um país que consiga barrar a questão da gordofobia. Afinal, de democratizar todo indivíduo como já dizia São Tomas de Aquino, logo, construir-se-á uma nação melhor.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra domínio mediano da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com estrutura sintática mediana para o grau de escolaridade exigido, porém com alguns desvios morfossintáticos, de pontuação, de grafia ou de emprego do registro adequado ao tipo textual.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#76113
Olá @mariaalicec. Aqui está minha correção

Em diversos filmes feitos pela boneca “Barbie”[1] há uma representação de um estereótipo social: a valorização somente da beleza do corpo magro, esbelto e com suas curvaturas acinturadas. Fora da ficção, no Brasil, acontece o mesmo,[2]grande parte das pessoas só apreciam o físico de indivíduos semelhantes. Dessa forma, tendem a excluir a população acima do peso, inferiorizando a pessoa gorda e, consequentemente, prejudicando essa parcela social. Assim, cabe observar dois importantes fatores que contribuem para essa problemática: a negligência estatal e o poder social.

[1]– Falta de vírgula
[2] – Recomendo não fazer esse tipo de generalização, pois elas podem desconcertar sua argumentação no texto. Além disso, podem caracterizar uma marca de oralidade, mesmo que implícita
→ Quando citar um filme ou série, escreva também o país em que foi produzido
→ Sugiro que reescreva a parte sublinhada, por exemplo: Nos filmes da saga norte-americana "Barbie"


[3]Diante desse cenário, deve-se ressaltar a ausência de medidas governamentais para o combate contra a gordofobia. A Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5°, prevê o direito à igualdade inerente a todo cidadão. No entanto, ainda não há uma punição específica para quem pratica este preconceito. Por conseguinte, as vítimas acabam passando por situações desconfortáveis, como ouvir piadas mal intencionadas quando estão comendo algo calórico. Desse modo, é possível que essas pessoas tenham doenças psicológicas, como a ansiedade e a depressão.

[3]– Falta de conectivo


Outrossim, é inegável que a sociedade em seu papel de construir padrões colabora com esse panorama. No filme americano “Dumplin” (Bolinho de massa), Will é uma garota confiante com o seu corpo que decide participar de um concurso de beleza, no qual ela conquista o prêmio. Mesmo que todos tenham ficado felizes por uma pessoa fora do padrão ter ganhado a competição, ainda sim, na [4]sociedade atual, não ocorre da mesma maneira. Dessa forma, os cidadãos magros sempre se sobressaem do que os demais, seja no esporte, seja na vida pessoal, estando sempre em primeiro lugar na hierarquia social.

[4] - Repetição de palavra


Nessa perspectiva, verifica-se a necessidade de modificar o impasse. Portanto, o Estado - promotor da harmonia social - deve criar políticas públicas associadas a esse grave problema, obtendo assim leis mais rígidas, e como resultado, os cidadãos serão mais respeitosos com o próximo e o Brasil estará subindo mais uma escada ao combate da desigualdade. Isso precisa ser feito por meio do poder Legislativo, além da fiscalização desses atos no poder Executivo. A partir disso, espera-se que a valorização proposta pela protagonista Will não fique apenas no âmbito teatral. Outras medidas devem ser tomadas, porém, como considera Oscar Wilde, "O primeiro passo é o mais importante na evolução de um homem ou nação".

Agente: +
Ação: +
Meio/modo: +
Finalidade: -
Detalhamento: +
#76121
Cazuza, cantor e compositor brasileiro, na sua música "O tempo não para", afirma que vê o futuro repetir o passado. Não diferente da canção, incluso nessa perspectiva, está o contexto brasileiro hodierno quanto à destruição de monumentos como protesto contra homenagens às figuras históricas questionáveis, o que reflete uma forte polarização da sociedade. Isso se dá em virtude da desinformação histórico-social do país e da displicência estatal. Assim, faz-se improtelável a análise desses empecilhos, com o fim de atenuar a problemática.
A princípio, é evidente a carência de informação histórica, por parte do corpo social. Isso ocorre, pela supervalorização de algumas disciplinas escolares, como português e matemática, e descrédito às disciplinas como: história, geografia, sociologia e filosofia, matérias estas que abordam o conhecimento histórico e estimulam o pensamento crítico do estudante. A exemplo disso, está o Novo Ensino Médio, aprovado durante o governo do ex-presidente Michel Temer pela lei n.° 13.415/2017, que alterou as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, tornando esse estudo reflexivo, opcional, mantendo obrigatórias as disciplinas vistas como mais essenciais, contribuindo para uma sociedade desinformada e alheia ao que acontece no seu meio. Dessa forma, é imprescindível a mudança de postura do corpo social para com essa conjuntura.
Outrossim, a desatenção do Estado no que tange a permanência desses monumentos, é outro agravante para esse cenário. Segundo John Locke, filósofo inglês, é dever do Estado buscar o bem-estar público, todavia, não o faz, ao permitir que homenagens às figuras históricas dubitáveis, se prolonguem no espaço público sem qualquer explicação de suas ações passadas. Essas pessoas desempenharam papéis fundamentais para a construção da atual nação, no entanto, realizaram isso através de torturas, assassinatos, estupros, e além dessas práticas serem repudiadas, independente de suas justificativas, elas despertam lembranças e significados para os descendentes dessas vítimas. Assim, é imperioso que o responsável pelo bem-estar da população cumpra com seu dever e atenue esse entrave.
Destarte, fica explícito a polarização presente na sociedade e as suas consequências no tocante ao debate da destruição, ou não, de monumentos de figuras da história. Assim, o Ministério da Educação, órgão governamental responsável por implantar as políticas educacionais no país, deve por intermédio de uma reformulação na Base Nacional Comum Curricular, tornando essenciais as disciplinas de cunho crítico e histórico, com o fim de construir cidadãos conhecedores da história do seu país, não aceitando homenagens à essas figuras. Ademais, o Ministério da Cultura, órgão do Governo responsável pela expressão da cultura nacional e pelo patrimônio histórico do país, mediante de suas secretarias estaduais e municipais, deve realocar esses monumentos de vias públicas para outros locais como museus e centros de conservação ou para jardins do Museu Nacional, atualmente em fase de recuperação, com a finalidade de promover locais que respeitem um passado de dor, mas promovam uma reflexão de como é preciso conhecer a história para aprender com os erros anteriores. Dessarte, quando tais medidas forem postas em prática, amenizar-se-ão esses obstáculos, e o futuro não mais repita o passado.
#76234
Olá novamente @LariRsantos. Peço mil desculpas pelo inconveniente! Corrigi duas redações com o mesmo tema e me equivoquei :( Mas aqui está minha correção

Sob a perspectiva filosófica de São Tomé de Aquino[1] todo indivíduo de uma sociedade democrática [2]possuem a mesma importância, além dos mesmos direitos e deveres. No entanto, percebe-se que na sociedade Brasileira[1] tal prerrogativa não [3]ter sido praticada com ênfase quando se trata das questões da gordofobia. Nesse sentido[1] tal fato torna-se em grande desafio a ser enfrentado, devido a carência de informações e [4]por conta também da negligência governamental.

[1] – Falta de vírgula
[2] – Erro de concordância
[3] - Verbo conjugado de forma errada
[4] – Não há necessidade de utilizar esse “por conta também”, pois pode ser caracterizado como um erro/marca de oralidade


[5]Nessa perspectiva, [6]cabe-se ressaltar que a falta de informação é um graduante impulsionador para a problemática. Nesse âmbito[1] é lícito referenciar o filósofo grego Platão, que, em sua obra [7]á República[1] narrou o intitulado “mito da caverna”, no qual homens acorrentados em uma caverna viam somente sombras na parede acreditando que àquilo era a realidade das coisas. Dessa forma, é notório que, em situação análoga [8]á metáfora, a população sem acesso ao conhecimento acerca das questões relacionadas a gordofobia no território brasileiro, [2]vivem na escuridão, isto é, ignorância, disseminando atitudes gordofóbicas. Logo, [9]haja vista que a falta de informação prejudica o desenvolvimento do país, medidas acabam se tornando extremamente necessárias para a resolução desse problema.

[5] - Introduza seu D1 com um conectivo específico
[6] - Essa construção sublinhada ficou um pouco confusa. Recomendo reescrever sem o termo "cabe-se"
[7] - Sempre que citar um repertório, especialmente livros, séries e filmes, escreva-os entre aspas
[8] - Substitua esse "á" por "à"
[9] -Retire o conectivo "haja vista" dessa construção


[5]Convém pontuar, ainda, que a negligência por parte do [10]governo é um grande estopim para a situação. [9]Desse modo, é indubitável que a falta de iniciativa na área educacional contribui para com o aumento do casos de gordofobia, já que esse fator precisa de apoio governamental para crescer sem dificuldades no [11]Estado. Isso acontece porque, com base na teoria do filósofo inglês John Locke, na qual frisava que a configuração é como uma violação do “Contrato Social”, por conta do poder estatal não cumprir sua função de garantia o bem-estar dos cidadãos. Dessa maneira, se torna urgente a mudança dessa postura [12]estatal.

[10] - Escreva "governo" com letra maiúscula
[11] - Recomendo substituir o termo "Estado" por "território nacional", pois o Estado é uma conjuntura política que equivale ao Governo
[12] - Repetição de termo


Portanto, percebe-se a urgência em resolver a questão da gordofobia na [13]Terra de Vera Cruz. Para isso, é fundamental que o Ministério da Educação[1] agregado com o Governo, crie projetos educacionais nas escolas por meio campanhas midiáticas em canais abertos de televisão e em redes sociais de grande alcance. Paralelamente, as administrações públicas - em todas as suas esferas - devem implantar um Projeto Nacional de Incentivo à Educação, o modo pelo qual será instrumento balizador para planejar políticas e programas educacionais, mediante campanhas de divulgações informativas sobre a transmissão de conhecimento, por meio de palestra, distribuição de panfletos e com o auxílio de profissionais qualificados na área, com direcionamento em todos os municípios brasileiros, atingindo toda a população no âmbito escolar e familiar. Isso será feito a fim de construir um país que consiga barrar a questão da gordofobia. Afinal, de democratizar todo indivíduo como já dizia São Tomas de Aquino, logo, construir-se-á uma nação melhor.


[13] - Recomendo substituir esse termo por "Brasil" ou "país"
Agente: +
Ação: +
Meio/modo: +
Finalidade: +
Detalhamento: +

Mais uma vez, peço desculpas pelo inconveniente :( Espero ter ajudado

Embora a Declaração Universal dos Di[…]

Olá, Bia. A sua redação n&at[…]

eurodrigo anasilva1 Bia2201 3m1ly Gi6[…]

eurodrigo Obrigado pela avaliaçã[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM