• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#61405
A Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 6°, o direito à Segurança Social, como inerente a todo cidadão brasileiro. Conquanto, tal prerrogativa não tem se concluído com ênfase na prática, quando se observa a persistência do racismo na sociedade brasileira, dificultando, deste modo, a universalização deste direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, faz- se imperiosa à análise dos fatores que favorecem esse quadro: a violência gerada pela exclusão social e a desigualdade perante à sociedade.
Em uma primeira análise, as práticas discriminatórias no país existem, a despeito das correntes negacionistas atuais. Dessa maneira uma classe se sobrepõe à outra, para isso se utilizando e estruturas de poder, o que Foucalt denomina de cadeia de exclusão. A pobreza no Brasil tem cor e, inquestionavelmente, as consequências estão de olhos vistos. Essa conjuntura, segundo as ideias do filósofo contratualosta Jonh Locke, configura -se como uma violação do contrato social, já que o estado não cumpre corretamente seu papel de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a Segurança Social, o que infelizmente é evidente no país.
Ademais, cabe ressaltar, que 78% dos pobres do Brasil e 65% da população carcerária é negra, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, com dados de 2018. Nessa perspectiva, cargos de menor qualificação e salário são de ocupação predominante dessa população, ainda de acordo com a pesquisa. Nesse sentido, depreende -se que os resquícios da escravidão, em uma pesquisa socioeconômico- cultural, nunca foram superados. Dessa maneira, mais trabalho, mais violência e menos dinheiro traduzem uma dívida, que historicamente gera desigualdades, como tal, necessita ser quitada. Diante de tal exposto, é inadmissível que este cenário continue a perdurar.
Depreende -se, portanto, para resolução da problemática causada pela persistência do racismo na sociedade brasileira, que se propunha um projeto nacional, capitaneado pelo Ministério de Educação, que vise o combate ao racismo pela educação e transformações de realidade. Que, por conseguinte, permita a aplicação de conteúdos transdisciplinares em escolas, alcançando crianças, bem como a formação de grupos de discussão em universidades, associações comunitárias e locais públicos, ressignificando cultura e comportamento, para adultos. Assim, se consolidará uma sociedade mais tolerante, na qual, o estado cumpre seu contrato social, tal como afirma Jonh Locke.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 190

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#61447
@Jamily16



A Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 6°, o direito à Segurança Social, como inerente a todo cidadão brasileiro. Conquanto, tal prerrogativa não tem se concluído com ênfase na prática, quando se observa a persistência do racismo na sociedade brasileira, dificultando, deste modo, a universalização deste direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, faz- se imperiosa à análise dos fatores que favorecem esse quadro: a violência gerada pela exclusão social e a desigualdade perante à sociedade.
Em uma primeira análise, as práticas discriminatórias no país existem, a despeito das correntes negacionistas atuais. Dessa maneira uma classe se sobrepõe à outra, para isso se utilizando e estruturas de poder, o que Foucalt denomina de cadeia de exclusão. TruncamentoA pobreza no Brasil tem cor e, inquestionavelmente, as consequências estão de olhos vistos. Essa conjuntura, segundo as ideias do filósofo contratualostacontratualista Jonhjohn Locke, configura -se como uma violação do contrato social, já que o estado não cumpre corretamente seu papel de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a Segurança Social, o que infelizmente é evidente no país.aprofunde seu argumento/ basicamente você só está expondo informações
Ademais, cabe ressaltar, que 78% dos pobres do Brasil e 65% da população carcerária é negra, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, com dados de 2018. Nessa perspectiva, cargos de menor qualificação e salário são de ocupação predominante dessa população, ainda de acordo com a pesquisa. Nesse sentido, depreende -se que os resquícios da escravidão, em uma pesquisa socioeconômico- cultural, nunca foram superados. Dessa maneira, mais trabalho, mais violência e menos dinheiro traduzem uma dívida, que historicamente gera desigualdades, como tal, necessita ser quitada. Diante de tal exposto, é inadmissível que este cenário continue a perdurar.o segundo desenvolvimento está melhor/ você pode melhorar...
Depreende -se, portanto, para resolução da problemática causada pela persistência do racismo na sociedade brasileira, que se propunha um projeto nacional, capitaneado pelo Ministério de Educação, que vise o combate ao racismo pela educação e transformações de realidade. Que, por conseguinte, permita a aplicação de conteúdos transdisciplinares em escolas, alcançando crianças, bem como a formação de grupos de discussão em universidades, associações comunitárias e locais públicos, ressignificando cultura e comportamento, para adultos. Assim, se consolidará uma sociedade mais tolerante, na qual, o estado cumpre seu contrato social, tal como afirma Jonh Locke.
#61450
Wesleykm escreveu:@Jamily16



A Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 6°, o direito à Segurança Social, como inerente a todo cidadão brasileiro. Conquanto, tal prerrogativa não tem se concluído com ênfase na prática, quando se observa a persistência do racismo na sociedade brasileira, dificultando, deste modo, a universalização deste direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, faz- se imperiosa à análise dos fatores que favorecem esse quadro: a violência gerada pela exclusão social e a desigualdade perante à sociedade.
Em uma primeira análise, as práticas discriminatórias no país existem, a despeito das correntes negacionistas atuais. Dessa maneira uma classe se sobrepõe à outra, para isso se utilizando e estruturas de poder, o que Foucalt denomina de cadeia de exclusão. TruncamentoA pobreza no Brasil tem cor e, inquestionavelmente, as consequências estão de olhos vistos. Essa conjuntura, segundo as ideias do filósofo contratualostacontratualista Jonhjohn Locke, configura -se como uma violação do contrato social, já que o estado não cumpre corretamente seu papel de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a Segurança Social, o que infelizmente é evidente no país.aprofunde seu argumento/ basicamente você só está expondo informações
Ademais, cabe ressaltar, que 78% dos pobres do Brasil e 65% da população carcerária é negra, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, com dados de 2018. Nessa perspectiva, cargos de menor qualificação e salário são de ocupação predominante dessa população, ainda de acordo com a pesquisa. Nesse sentido, depreende -se que os resquícios da escravidão, em uma pesquisa socioeconômico- cultural, nunca foram superados. Dessa maneira, mais trabalho, mais violência e menos dinheiro traduzem uma dívida, que historicamente gera desigualdades, como tal, necessita ser quitada. Diante de tal exposto, é inadmissível que este cenário continue a perdurar.o segundo desenvolvimento está melhor/ você pode melhorar...
Depreende -se, portanto, para resolução da problemática causada pela persistência do racismo na sociedade brasileira, que se propunha um projeto nacional, capitaneado pelo Ministério de Educação, que vise o combate ao racismo pela educação e transformações de realidade. Que, por conseguinte, permita a aplicação de conteúdos transdisciplinares em escolas, alcançando crianças, bem como a formação de grupos de discussão em universidades, associações comunitárias e locais públicos, ressignificando cultura e comportamento, para adultos. Assim, se consolidará uma sociedade mais tolerante, na qual, o estado cumpre seu contrato social, tal como afirma Jonh Locke.

De acordo com os dados da OMS, o Brasil registrou […]

No contexto social brasileiro, vem se espalhando, […]

Oi, Willa ! Introdução De aco[…]

No seriado de TV estadunidense "The handmaid'[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM