• Avatar do usuário
#64825
Baseado em fatos reais, o filme “A rede social” de 2010, retrata o processo de criação de um dos principais meios de comunicação online, o Facebook, e com ele a maior oportunidade de liberdade de expressão e pluralidade de ideias, que foram essenciais para a popularização do aplicativo. Nesse sentido, a narrativa revela a trajetória de Mark Zuckerberg, um estudante de Harvard que foi o idealizador e criador da rede social com o objetivo de promover a socialização entre as pessoas por meio da internet, no entanto, a intolerância a opiniões divergentes e o anonimato online estimulam gradativamente o discurso de ódio e a impunidade de crimes virtuais.
Faz-se necessário destacar o perceptível aumento de crimes de ódios em redes sociais nos últimos cinco anos, causados em grande maioria por motivos políticos, religiosos, étnicos e raciais. Segundo o professor universitário Luiz Roberto Bodstein, as redes sociais foram criadas para aproximar as pessoas, mas ocasionou-se em uma batalha de egos que tentam se impor sobre os demais, usando a disseminação de intolerância como armamento e o anonimato como escudo, assim sendo, os indivíduos fogem de um debate saudável de opiniões para ataques de forma anônima, que ameaçam o direito humano da livre expressão de ideias.
Ademais, percebe se os altos índices de impunidade relacionadosa crimes virtuais, majoritariamente causados pela sensação de anonimato oferecida pelas redes sociais. No filme “Rede de Ódio”, por exemplo, o jovem Tomas utiliza as suas redes sociais para disseminar discursos intolerantes e manipuladores, incentivando crimes, como depredação ao patrimônio público e terrorismo, contudo a procura da polícia pelo criminoso é em vão, pois protegido pelo anonimato, Tomas vê-se livre da polícia. Paralelamente, diversos usuários abusam da proteção concedida pelo aplicativo, para por meio dele, expressar as mais absurdas opiniões possíveis. Logo, constata-se que o anonimato é um dos principais causadores da impunidade da disseminação de ódio nas redes sociais.
Portanto, é preciso que o Estado tome providências para amenizar o quadro atual. Para diminuir a impunidade de crimes virtuais, urge que os parlamentares, por meio de Propostas à emenda da Constituição (PEC), aprovem leis, exigindo que as redes sociais veiculadas no Brasil, obriguem seus usuáriosa se identificarem na criação de novas contas, utilizando Cadastro de pessoa física (CPF), ou Carteira de Identidade. Somente assim, será possível controlar a disseminação de ódio e garantir o direito de liberdade de expressão.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Muitas pessoas hoje em dia usam a tecnologia ao se[…]

No Brasil, apesar dos avanços promovidos pe[…]

vitoriaca , mesmo assim agradeço por se d[…]

Oi, perdão pela demora.. tenho estado mui[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM