Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#59957
No documentário "Todos nós, 5 milhões", retrata a história de jovens que foram abandonados pelos pais e mães que lutam para criarem seus filhos sozinhas. Embora, o abandono paternal seja algo recorrente no Brasil, não tem recebido sua merecida relevância, seja pela sociedade, seja pelo poder público. Nesse contexto, é correto afirmar que o descaso com esses grupos afetados e a falta de efetividade das leis, sobre esses homens, faz com que essa mazela seja ignorada.

Em primeiro lugar, cabe abordar a desconsideração por parte do governo e da população, sobre a rejeição de diversas crianças. De acordo, com a Central Nacional de Informações de Registro Civil (CRC), em apenas um ano, cerca de 80 mil juvenis não foram registrados pelos seus genitores. Ou seja, serão diversas pessoas impactadas e traumatizadas, por essa questão e assim, gerando adultos frustrados. Dessa forma, fica evidente que muitos indivíduos além de não terem o reconhecimento paterno, não recebem qualquer tipo de apoio afetivo ou financeiro de seus progenitores.

Além disso, vale ressaltar a escassez de legislações mais rígidas em relação ao abandono afetivo e material. Visto que, esses cidadãos tem a sensação de impunidade pela ausência de efetivação das leis estabelecidas e conscientização desses crimes. Desse modo, tornando-se frequente as transgressões desses regulamentos e dessa maneira se transformando em um problema pertinente no país, sem suas devidas discussões.

Portanto, para que essa problemática tenha suas adequadas recognições e assim, seja abolida. É preciso que o Governo Federal em conjunto com o MEC, trabalhem na criação de projetos, no ambiente escolar, como palestras com psicólogos, para pais e alunos, sobre a importância de discutir o abandono paterno e formas de lidar com esse trauma, com a finalidade de conscientizar todos sobre esse assunto e ajudar famílias que passam por isso. Assim como, um maior empenho dos Cartórios em parceria com o Poder Judiciário, a fim de encaminhar para as Varas da Infância e Juventude, todos os registros sem a reconhecença paterna, com a intenção de serem tomadas as devidas providências. Para que assim, esses casos sejam combatidos.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A pandemia de negacionismo no mundo

Sob a perspectiva histórica, é fato[…]

Em uma sociedade onde ler se tornou tedioso, utili[…]

• O Aumento dá violência contra […]

Akirakun18 , Andree Desculpa te incomodar,mas […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM