Avatar do usuário
Por vininobre
Quantidade de postagens
#123969
Observa-se que muitas discussões têm ocorrido acerca da má função social que os influenciadores digitais desempenham na sociedade contemporânea. Isso ocorre devido à negligência governamental e à irracionalidade dos indivíduos; que culminam em preocupantes mazelas. Desse modo, é imprescindível refletir e intervir em tais problemáticas em prol da plena harmonia social.
Primordialmente, é importante destacar a insuficiente ação do Estado contra essa má função social. Nesse contexto, conforme o filósofo Maquiavel, o principal objetivo do governante é a manutenção do poder e não a promoção do bem comum. Nesse prisma, há uma negligência do governo com escassas ações conscientizadoras e de ajuda à realidade dos jovens manipulados por meio dos influenciadores digitais na internet, pelo fato de que políticas públicas nesse sentido não garantem um amplo efetivo de votos aos políticos. Isso porque a população, na maioria, não está preocupada com a situação das crianças e adolescentes influenciados pelas mídias sociais na sociedade contemporânea e, por isso, não vota, necessariamente, em governantes que tem como pauta ações em benefício desse grupo. Com isso, prevalece uma inércia estatal à maléfica influência sofrida por esses cidadãos.
Outrossim, é fulcral salientar a culpa de parte da população à má função social desempenhada pela mídia digital no país. Nesse viés, a socióloga alemã Hannah Arendt, em seu conceito "Banalidade do Mal", reflete sobre o processo de massificação da sociedade, o qual formou indivíduos incapazes de realizar julgamentos morais, tornando-se alienados e trivializando os males ao seu redor. Assim, é possível relacionar o conceito da pensadora à péssima função social dos influenciadores digitais no Brasil, na medida em que, pela falta de debates e informações acerca da realidade desses jovens, cria-se uma banalização dessa problemática. Por conseguinte, em muitos casos, as vítimas passam a tomar decisões importantes com base no que seus "influencers" acham, perdendo assim a capacidade de opinar por contra própria, perdendo sua identidade.
Portanto, fica a cargo de ONGs criarem campanhas informativas em plataformas de "streaming", como YouTube, Netflix e TikTok, tem como porta-vozes especialistas no assunto. Isso deve ocorrer por meio de curtas-metragens e de vídeos lúdicos sobre a má função social dos influenciadores digitais no Brasil. Essa ação tem a finalidade de remediar não somente a negligência do governo, mas também a irracionalidade dos indivíduos, contrapondo o elucidado por Arendt.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Passe ilimitado
Comentários
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido

A Constituição Federal de 1988 assegura a todos os[…]

O artigo 4 da Declaração Universal dos Direitos Hu[…]

alguém poderia por favor corrigi-la? @Lauany25 @M[…]

O programa televisivo "Catalendas" con[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!