• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#78705
A chegada da Família real ao Brasil Colônia, em 1808, estimulou exponencialmente o desenvolvimento urbano e intelectual da nação ao estabelecer desde reformas estruturais até mudanças comportamentais. Nesse ínterim, foi criada a primeira faculdade de medicina do país, com o fito de fazer prevalecer o pensamento científico em detrimento dos saberes tradicionais da época. Contudo, tal ação não foi suficiente para promover a disseminação dos conhecimentos médicos à sociedade, principalmente no que diz respeito à doação de órgãos, uma vez que a maior parte da população se encontra alienada dessa necessidade. Nesse contexto, é evidente que a falta de cultura em relação a tal ato se deve à massificação do corpo civil e ao individualismo exacerbado, ambos característicos da modernidade.
Primordialmente, é relevante destacar que a perpetuação da desinformação acerca desse tema acontece, em muito, devido aos aspectos interpessoais das relações sociais. Sob essa ótica, a renomada antropóloga Ruth Benedict define que os valores da comunidade se sobrepõem aos impulsos individuais já que, de acordo com ela, “a cultura é uma lente através da qual o homem vê o mundo”. Sendo assim, vontades particulares são alteradas para adequar-se ao senso comum vigente, favorecendo a permanência de comportamentos históricos obsoletos, tais como a banalização da doação de órgãos verificada na contemporaneidade. Logo, essa massificação do comportamento civil aos moldes do Brasil Colônia dificulta a assimilação de novos conhecimentos, como a importância de ceder partes vitais do corpo no pós-morte.
Outrossim, a tendência à apatia que marca a conjuntura hodierna é um agravante desse quadro. Em consonância com esse tema, o célebre filósofo Zygmunt Bauman já apontava a propensão ao que ele chama de “liquidez das relações”. Nesse sentido, os indivíduos se preocupariam cada vez menos com seus semelhantes, explicitando uma constante ascensão do individualismo. Em suma, os civis não mais encontram lógica no altruísmo, e, por não verem propósito em ajudar o próximo, não aderem à doação.
Portanto, diante do supracitado, é mister que o Ministério da Educação, agente formador de caráter, por intermédio de professores e especialistas da área da saúde, desperte na sociedade a empatia, com o objetivo de promover mudanças de paradigmas culturais no que diz respeito a atribuir maior importância à doação de órgãos. Tal ação deve ser viabilizada por meio de inserção de debates sobre o assunto nas escolas, desde as sérias iniciais. Somente assim poder-se-á desconstruir os tradicionalismos estruturados nos séculos passados.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#78784
Antes de tudo, estou completa e totalmente aberto para discordâncias, sugestões, opiniões, ou qualquer outro pronunciamento de quaisquer pontos aqui levantados. A discussão é sempre bem-vinda.

C1: 200
Encontrei 2 erros na estrutura gramatical, o que não me permite tirar ponto:

"(...) uma vez que a maior parte da população se encontra alienada dessa necessidade."
A próclise é empregada quando há a presença de "atratores" (palavras negativas, advérbios ou pronomes indefinidos). Nessa sua oração, todavia, não existe essa estrutura, logo, o uso correto do relativo "se" é posposto ao verbo, desta maneira: parte da população encontra-se alienada. (erro de colocação pronominal)

Além disso, em "(...) os valores da comunidade se sobrepõem aos impulsos individuais já que, de acordo com ela, 'a cultura é uma lente através da qual o homem vê o mundo'.", a oração coordenada explicativa, marcada pela conjunção "já que", deve ser separada da principal por vírgula, desta maneira: os valores da comunidade se sobrepõem aos impulsos individuais, já que, de acordo com ela, 'a cultura é uma lente através da qual o homem vê o mundo. (erro de uso de vírgula)


C2: 200
Em síntese, há dois repertórios pertinentes, legítimos e produtivos. Ademais, a proposta textual foi totalmente compreendida, sem se afugentar dos padrões do texto dissertativo-argumentativo.

C3: 160
Excelente planejamento de texto.
Deslize pontual de argumentação: no início do D1, é levantado um ponto, a desinformação, no entanto, este não é desenvolvido ao longo do parágrafo. Elucida-se, portanto, uma lacuna argumentativa.

C4: 200
Coesivos variados, adequados, suficientes e produtivos para a defesa do ponto de vista.
Não há, ainda, aspectos linguísticos que impossibilitam, sequer dificultam, a argumentação.

C5: 200
Proposta de intervenção com os cinco elementos válidos e bem definidos.

TOTAL: 960
#78785
Oi, @velloso! Muito obrigada pelas dicas, foram valiosas as observações gramaticais!! Como é satisfatório ter uma segunda opinião a respeito das nossas próprias redações, por exemplo, pensei que tinha retomado a parte sobre desinformação no D1 ao mencionar que "dificulta a assimilação de novos conhecimentos". E por isso é muito bom reler através dos olhos de alguém que está tendo o primeiro contato com a redação, pois as vezes, depois de refazê-la milhões de vezes, parece que já sabemos de cor coisas que pros demais não estão tão claro assim, aumentando a propensão de erros.
#78786
Oi, @velloso! Muito obrigada pelas dicas, foram valiosas as observações gramaticais!! Como é satisfatório ter uma segunda opinião a respeito das nossas próprias redações, por exemplo, pensei que tinha retomado a parte sobre desinformação no D1 ao mencionar que "dificulta a assimilação de novos conhecimentos". E por isso é muito bom reler através dos olhos de alguém que está tendo o primeiro contato com a redação, pois as vezes, depois de refazê-la milhões de vezes, parece que já sabemos de cor coisas que pros demais não estão tão claro assim, aumentando a propensão de erros.
A questão do lixo no Brasil

O filme "Wall-e" se passa em uma socieda[…]

geoca PODE CORRIGIR MINHA RED PFVR?

Segundo a Constituição Federal de 19[…]

Sob a perspectiva do aclamado documentário […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM