• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#81206
No famoso filme, “Até que a sorte nos separe”, é retratado a vida de uma família que ganha na loteria, mas que acaba em falência, consequência do gasto excessivo, além da falta de informações sobre o controle de capital. Fora da ficção, observando o atual cenário nacional, nota-se a deficitária educação financeira como um desafio a ser combatido, de forma semelhante à produção artística. Nessa lógica, a cultura do consumo exacerbado, bem como a defasagem na formação escolar são consideradas fatores agravantes dessa problemática.
Convém ressaltar, a princípio, a presença do costume do consumismo como um impulsionador desse impasse. Nesse viés, compreende-se como obsolescência programada, conceito desenvolvido por Alfred Sloan, empresário norte-americano, uma estratégia que tem como objetivo provocar, de forma intencional, uma demanda descontrolada no indivíduo, visto que os produtos transmitem a sensação de desatualizados ou defeituosos. Dessa forma, surge na massa social o hábito da compra exagerada, já que as mercadorias deixam, aparentemente, de serem úteis e são substituídas por novos itens, levando, como consequência, ao endividamento. Desse modo, enquanto existir um pensamento consumista, a resolução desse problema será dificultosa.
Em segundo plano, o processo educacional ultrapassado não capacita o sujeito na administração de suas finanças. Nessa perspectiva, é válido citar o sociólogo Edgar Morin, o qual defende a implementação de um método de ensino baseado na multiplicidade de saberes. Contudo, a teoria apresentada não é aplicada na prática, visto que as escolas não promovem a capacitação do aluno no que tange às questões monetárias por não possuírem aulas voltadas para área financeira. Nesse contexto, o cidadão tende a contrair dívidas, as quais, na maioria das vezes, não consegue quitar. Dessa maneira, é fundamental a participação das escolas no enfrentamento desse obstáculo.
Evidencia-se, portanto, a necessidade de intervenções de modo a sanar o problema da educação financeira no Brasil. Logo, cabe ao Ministério da Educação - órgão responsável pela administração do ensino no país -, inserir uma nova disciplina chamada “ensino financeiro”, por meio de uma formulação na Base Nacional Comum Curricular. Essa ação, que acontecerá em todas as escolas públicas e privadas a partir do primeiro ano do ensino médio, tem como objetivo instruir o cidadão sobre a temática monetária desde a juventude. Também, é dever do Poder Legislativo construir leis com o propósito de limitar a obsolescência programada na massa social, a fim de barrar o avanço dessa adversidade. Assim, situações semelhantes à do filme “Até que a sorte nos separe” serão restritas somente à ficção.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#81418
No famoso filme,[vírgula indevida] “Até que a sorte nos separe”,vírgula indevida é retratado a vida de uma família que ganha na loteria, mas que acaba em falência, consequência do gasto excessivo, além da falta de informações sobre o controle de capital.

D1: Perfeito

Em segundo plano não sei se isso é conectivo interparágrafo, prefira utilizar "Ademais, Outrossim, etc.", o processo educacional ultrapassado não capacita o sujeito na administração de suas finanças. Nessa perspectiva, é válido citar o sociólogo Edgar Morin, o qual defende a implementação de um método de ensino baseado na multiplicidade de saberes. Contudo, a teoria apresentada não é aplicada na prática, visto que as escolas não promovem a capacitação do aluno no que tange às questões monetárias por não possuírem aulas voltadas para área financeira. Nesse contexto, o cidadão tende a contrair dívidas, as quais, na maioria das vezes, não consegue quitar. Dessa maneira, é fundamental a participação das escolas no enfrentamento desse obstáculo.
Nesse D2, para não ter uma consequência igual a do D2, você poderia ter dito que o cidadão não aprende o planejamento financeiro, o que pode levá-lo a gastar erroneamente e ficar sem dinheiro para itens básicos no fim do mês, como comida. Pois daí você apresenta um outro agravante, além do endividamento - o qual não é o único problema da falta de educação financeira!

Conclusão perfeita.

Está apresentando todos os elementos em todos os parágrafos, só tenha cuidado para não repetir informação e cuidado com as vírgulas!
A invisibilidade dos "cidadãos"

A invisibilidade decorrente da falta de registro c[…]

Para começar sua redação, &ea[…]

RubiArtes ,

Certo, muito obrigada!! Por nada!

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM